Intercept afirma que há mais dados comprovando ação inadequada de Moro

"Esse arquivo é muito grande e é sobre mais pessoas do que a força-tarefa da Lava Jato ou o Moro", afirmou Glenn Greenwald, fundador do The Intercept

Por: Redação | Comunicar erro

O Intercept afirmou que há mais dados comprovando ação inadequada de Sérgio Moro, enquanto era juiz durante a Operação Lava Jato.

Crédito: Agência BrasilGlenn Greenwald e Sérgio Moro

“Não quero falar nada sobre as coisas que ainda não divulgamos. Mas posso falar que esse arquivo é muito grande e é sobre mais pessoas do que a força-tarefa da Lava Jato ou o Moro. Mas não posso dizer mais que isso”, afirmou o jornalista norte-americano Glenn Greenwald, um dos autores da série de reportagens publicadas pelo site “The Intercept Brasil”, que mostram a atuação indevida do ex-magistrado para influenciar em prisões e guiar a opinião pública, em entrevista ao portal UOL.

Greenwald, que também é um dos fundadores do site, disse que o material obtido sobre as relações escusas de Sergio Moro é maior do que o obtido por ele junto com o ex-agente da CIA e da NSA Edward Snowden, em 2013 que acabou comprovando o monitoramento indevido de informações privadas em massa pelos serviços de inteligência dos Estados Unidos.

PARA MINISTROS DO STF, MENSAGENS PODEM ANULAR DECISÕES DE MORO

APÓS VAZAMENTO DE MORO, DEPUTADO DAVID MIRANDA É ATACADO NAS REDES

O QUE HADDAD FALOU SOBRE VAZAMENTO DA CONVERSA ENTRE MORO E DALLAGNOL

SERGIO MORO SE DEFENDE DO VAZAMENTO DE CONVERSA COM LAVA JATO

O banco de dados analisado nesse caso era o maior já obtido por uma investigação jornalística. Essa se tornou a reportagem mais importante da carreira do jornalista, ela o deixou famoso mundialmente e lhe rendeu o Prêmio Pulitzer de jornalismo.

“Moro era um chefe da força-tarefa, que criou estratégias para botar Lula e outras pessoas na prisão, se comportando quase como um procurador, não como juiz”, afirmou Greenwald, que é casado com o deputado federal David Miranda (PSOL-RJ), e mora no Rio de Janeiro depois de ter sido ameaçado após as reportagens feitas com Snowden.

“Dizem que eu e meu marido somos de esquerda, mas nem Moro, nem a Lava Jato, dizem que os argumentos [das reportagens] são falsos”, resume.

Consequências

Em relação ao fato de as reportagens terem sido veiculadas sem que os citados fossem ouvidos previamente, o jornalista defende a legitimidade das matérias, que na avaliação dele poderiam ter sua publicação barradas na Justiça.

“Eu acho que as consequências pelo menos para o Brasil serão iguais ou maiores que as consequências do Snowden. [A Lava Jato] é um processo que durou cinco anos, botou muitas pessoas e dois ex-presidentes na prisão. Que tirou a pessoa que estava liderando a corrida presidencial em 2018 [o ex-presidente Lula], deixando alguém como [Jair] Bolsonaro ganhar. Para mim, qualquer material que mostra que tinham comportamentos e ações antiéticas e corruptas nesse processo é enorme”, disse o jornalista.

Convite de Bolsonaro a Moro x reputação da Lava Jato

“Temos conversas que ainda não reportamos sobre o Moro estar pensando na possibilidade de aceitar uma oferta do Bolsonaro, caso ele ganhasse. Isso foi antes da eleição, acho que depois do primeiro turno. E tem pessoas dentro da força-tarefa da Lava Jato, outros procuradores, falando que isso iria destruir a reputação da Lava Jato, porque iria criar uma percepção de que o tempo todo não foi uma apuração contra a corrupção, nem uma apuração do Judiciário”, disse Greenwald.

“E o fato de que o mesmo juiz que condenou o principal adversário do Bolsonaro e depois receber essa oferta para ser muito poderoso já foi muito estranho para o mundo. Mas o fato de que ele fez isso usando um comportamento proibido é ainda pior. Como podemos ter um ministro da Justiça que todo mundo sabe que quebrou as regras básicas da Justiça? É impossível. E mais ainda quando todo mundo sabe que fez isso para impedir o adversário principal do presidente de concorrer, e isso o ajudou a ganhar a eleição”, ponderou o jornalista

Leia a entrevista de Glenn Greenwald ao UOL aqui

1 / 8
1
03:46
‘Pretendo beneficiar um filho meu, sim’ diz Bolsonaro sobre embaixada
Em uma transmissão ao vivo pelas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender a nomeação de seu filho, …
2
03:15
Num ato de coragem, MBL pede desculpas publicamente
O jornalista Gilberto Dimenstein e a Catraca Livre já foram diversas vezes vítimas das milícias digitais do MBL com as …
3
03:04
O real motivo do ataque de Bolsonaro ao filme de Bruna Surfistinha
Jair Bolsonaro decidiu atacar o filme realizado por Deborah Secco sobre a ex-prostituta Bruna Surfistinha. Motivo oficial: o filme, usando …
4
02:13
Entenda os desdobramentos do caso Tabata Amaral no PDT
O PDT suspendeu a deputada federal Tabata Amaral e outros sete parlamentares que votaram a favor da reforma da Previdência, …
5
02:03
Incêndio em estúdio de animação em Japão deixa dezenas de mortos
Dezenas de pessoas morreram durante um incêndio criminoso que tomou conta do estúdio de animação da Kyoto Animation, na cidade …
6
02:19
Barragem abandonada corre risco de rompimento no interior de SP
Uma matéria publicada pelo G1 alerta para o risco de rompimento da barragem de água em Iaras, no interior de …
7
02:30
O que significa a gargalhada de Caetano Veloso?
Um vídeo do cantor Caetano Veloso gargalhando está viralizando nas redes sociais. O motivo da piada é a entrevista que …
8
01:51
Site ‘Não me Perturbe’ permite bloquear ligações de telemarketing
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) lançou o Não me Perturbe, site que permite bloquear ligações de telemarketing. O sistema …