CORONAVÍRUS
Tudo o que você precisa saberÚltimas notícias e tudo que você precisa saber

Joaquim Levy aceita convite de Bolsonaro para presidir BNDES

Levy foi ministro da Fazenda durante o governo Dilma Rousseff

Por: Redação
Joaquim Levy
Crédito: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência BrasilO economista Joaquim Levy

O economista Joaquim Levy aceitou nesta segunda-feira, 12, o convite para presidir presidir o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Ele foi convidado pela equipe de Paulo Guedes, confirmado para o superministério da Economia. A assessoria de Guedes divulgou a informação, segundo reportagem da Agência Brasil.

Levy é o primeiro na equipe econômica do governo de Jair Bolsonaro. Com experiência na administração pública, ele foi ministro da Fazenda de janeiro a dezembro de 2015, no segundo mandato de Dilma Rousseff, com a promessa de realizar um ajuste fiscal para conter os gastos públicos.

Na semana passada, Bolsonaro afirmou que pretende “abrir a caixa-preta” do BNDES em referência a empréstimos suspeitos negociados em gestões anteriores. Segundo ele, a sociedade tem direito de saber como é utilizado o dinheiro público.

Histórico

Engenheiro naval de formação, Levy possui doutorado em economia da Universidade de Chicago (EUA), a mesma de Paulo Guedes. Ele também foi secretário do Tesouro Nacional entre 2003 e 2006, durante o primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva.

Antes, no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso, foi secretário adjunto da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda, no ano 2000.

De 2010 e 2014, Levy foi diretor do banco Bradesco. Para assumir a presidência do BNDES, Levy deixará a diretoria financeira do Banco Mundial, cargo que ocupa atualmente.

Em 2007, foi secretário de Fazenda do Rio de Janeiro no primeiro mandato do governador Sergio Cabral.

Antes de trabalhar no governo federal, Levy acumulou experiência internacional, trabalhando de 1992 a 1999 no Fundo Monetário Internacional (FMI) e de 1999 a 2000, foi economista visitante no Banco Central Europeu.

Gestão

No cargo de ministro da Fazenda do governo Dilma Rousseff, Levy adotou um programa de austeridade fiscal e desfez uma série de desonerações concedidas no primeiro mandato de Dilma. Os benefícios incentivavam desde a compra de veículos à redução do preço dos combustíveis.

Levy também endureceu as regras de pagamento do abono salarial para os trabalhadores de carteira assinada que ganham até dois salários mínimos.

O então ministro ainda tentou, sem sucesso, reter até 30% dos recursos do Sistema S, que financia programas de aprendizagem e formação técnica, para cobrir o déficit fiscal de 2016. Por pressão da indústria, o então ministro recuou da ideia.

Ministros

O presidente eleito Jair Bolsonaro desembarca nesta terça-feira (13) em Brasília para intensificar a agenda de transição, definindo inclusive mais nomes para compor a equipe de governo.

Entre as prioridades da semana estão a definição de estratégia para a reforma da Previdência e a definição de, pelo menos, quatro nomes de ministros para as áreas de Meio Ambiente, Defesa, Saúde e Relações Exteriores.

O atual presidente do Banco Central, Ilan Goldjfan, também foi convidado para continuar no próximo governo, mas ainda não se pronunciou. Paralelamente, Guedes trabalha para ver aprovado o mais rápido o possível o projeto que garante a independência do Banco Central.

Há, ainda, expectativas sobre os novos comandos para a Petrobras e o Tesouro Nacional.

Veja o conteúdo na íntegra.

Compartilhe:

1
‘Na Fila do SUS’ retrata o sucateamento da saúde pública em plena pandemia
 'Na Fila do SUS' é uma websérie em formato original com seis episódios que estreia disponível exclusivamente, na plataforma online …
2
Governo libera uso da cloroquina para pacientes em estado leve da covid-19; classe médica discorda
Após pressão do presidente Jair Bolsonaro, o Ministério da Saúde cedeu e ampliou o  protocolo para uso da cloroquina e …
3
Felipe Neto no Roda Vida: confira os principais momentos do programa
Convidado do Roda Viva, da TV Cultura, na noite desta segunda-feira, 18, o youtuber Felipe Neto afirmou que faz um …
4
Flávio Bolsonaro rebate acusação feita por Paulo Marinho sobre o caso Queiroz
O senador Flávio Bolsonaro rebateu a acusação feita pelo empresário Paulo Marinho em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo …
5
Entenda os motivos do pedido de demissão do ministro da Saúde, Nelson Teich
Antes mesmo de completar um mês à frente do Ministério da Saúde, o ministro Nelson Teich pediu demissão do cargo …
6
Guia Negro Entrevista: O que é ser um corpo negro no mundo?
Neste décimo e último episódio da terceira temporada do Guia Negro Entrevista, o programa revisita seu passado para apresentar um …
7
Vídeo da reunião de Bolsonaro com Moro pode incriminar o presidente? Entenda
E não é que a exibição do vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril citado pelo ex-ministro Sergio …
8
3 países que mostraram que é possível conter o coronavírus
Nova Zelândia, Alemanha e Taiwan. O que esses três locais têm em comum? Eles mostraram para o mundo que ações rápidas …