Jovem negro e gay é agredido por três homens no centro de SP

Na ocasião, além das agressões, eles teriam chamado ele de "viadinho” e “preto safado”

Por: Redação
Ouça este conteúdo

Robson Gael, um jovem negro e gay, foi agredido por três homens brancos enquanto passeava com seu cachorro na região central da capital paulista por volta das 17h no último domingo, 4. O vídeo da ocorrência começou a viralizar nas redes sociais.

Jovem negro e gay é agredido por três homens no centro de SP
Crédito: Reprodução/InstagramJovem negro e gay é agredido por três homens no centro de SP

De acordo com a vítima, ele foi abordado pelo simples fato de ser negro e gay, já que não tinha qualquer motivo para que os homens começassem a atacá-lo. Na ocasião, eles teriam chamado ele de “viadinho” e “preto safado”. Além das agressões a Gael, seu cachorro também sofreu ataques.

“Eu estou aqui cortado. Todo machucado. Fui abordado por três indivíduos brancos, ‘héteros’ aqui no centro de SP. Me agrediram pelo simples fato de ser gay e negro”, disse.

O influenciador acredita que os homens estavam bêbados ou drogados. “Mas, isso não é base para que saiam agredindo as pessoas. To todo ensanguentado, agora já melhorou um pouquinho mais”, complementou.

Ele ainda ressalta que o sentimento é de impotência. “Em pleno país onde a maioria da população é negra, a gente precisa passar por umas coisas dessas. Ah, e pra você que ainda acha que não existe racismo neste país, esses cortes aqui na minha boca e as lesões que eu tenho pelo corpo sejam prova viva”, desabafa.

A cena foi vista por muitas pessoas, de cima e de baixo, causou um mini trânsito, uma galera começou a repudiar a agressão dos homens e na sequência, agentes da Guarda Civil Municipal (GCM) chegaram no local para ajudar na intervenção e retirada dos agressores do lugar. Ao que parece, ele foram liberados.

Robson não abaixou a cabeça, apesar do episódio de homofobia e racismo,  ele foi até a delegacia prestar queixa e saiu de lá com um boletim de ocorrência e um termo circunstanciado contra os agressores.

Veja o vídeo:

Como denunciar racismo

Casos como o de Laís estão longe de serem raros no Brasil. Para que eles diminuam, é fundamental que o criminoso seja denunciado, já que racismo é crime previsto pela Lei 7.716/89. Muitas vezes não sabemos o que fazer diante de uma situação como essa, nem como denunciar, e o caso acaba passando batido.

A denúncia pode ser feita tanto pela internet, quanto em delegacias comuns e nas que prestam serviços direcionados a crimes raciais, como as Delegacias de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), que funcionam em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Homofobia é crime

Infelizmente, ainda hoje existem pessoas que têm aversão à comunidade LGBTQIA+ e que renegam a existência da classe na sociedade por puro preconceito. Desde junho de 2019, é previsto por lei que homofobia é considerado crime no Brasil. O ato criminoso é punido através da Lei de Racismo (7716/89), que hoje prevê crimes de discriminação ou preconceito por “raça, cor, etnia, religião e procedência nacional”.

Compartilhe: