Juíza nega transferência de João de Deus a hospital

Magistrada diz não haver necessidade de atendimento médico especial

Por: Redação | Comunicar erro
joão de Deus
Crédito: Marcelo Camargo/Agência BrasilMagistrada diz que  não há necessidade atendimento médico especial

Após o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, determinar, na última quinta (3), que o Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) informasse, em até 48 horas, a situação de saúde do médium goiano João de Deus, a juíza Marli de Fátima Naves afirmou não haver qualquer variação no estado de saúde do médium que exija sua transferência do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia (GO) para hospital particular. O médium está preso após centenas denúncias por abusos sexuais.

A decisão da magistrada contraria pedido da defesa do médium, que havia solicitado a transferência dele do presídio para um hospital particular de Goiânia para tratar problemas no coração.

Segundo a juíza, os exames diagnosticaram apenas a “discreta” presença de sangue na urina do paciente, sem infecção. Diante disso, o médico responsável recomendou que o retorno do médium à unidade prisional e a manutenção do acompanhamento ambulatorial “como já tem sido feito regularmente”.

joao de deus fichado
Crédito: divulgaçãoJoão de Deus segue preso no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia

A juíza também afirma que “não há, até a presente data, qualquer notícia de intercorrência apta a exigir atuação de médico especialista em cardiologia”, conforme sugerido pela defesa do médium, que pede a transferência de João de Deus do complexo prisional para um hospital particular de Goiânia. De acordo com a magistrada, o pedido de transferência não tem “indicação médica ou encaminhamento”.

Suspeito de ter abusado sexualmente de mulheres que frequentavam o centro espírita Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, João de Deus está preso, em caráter preventivo, desde o dia 16 de dezembro. Seus advogados ajuizaram, no STF, um pedido para que João de Deus possa responder as acusações em liberdade. Devido ao recesso do Poder Judiciário, o pedido de habeas corpus será julgado pelo ministro Dias Toffoli.

O Ministério Público de Goiás já apresentou à Justiça estadual as primeiras denúncias contra o médium, por ao menos quatro casos investigados pela Polícia Civil e pelo MP, que continuam ouvindo outras mulheres que afirmam ser vítimas de João de Deus.

Com informações da Agência Brasil

Compartilhe:

1 / 8
1
05:53
Síndrome de Bolsonaro explica embate com o vice-presidente
A batalha contra o vice Hamilton Mourão virou uma bomba para Jair Bolsonaro. Acabou em um desastrado vídeo postado no …
2
20:44
São Paulo, capital da Cultura | Entrevista por Catraca Livre
Atuando como Secretário Municipal de Cultura em São Paulo desde janeiro desse ano, Alê Youssef ainda está no começo da …
3
07:26
STF e o limite da liberdade de expressão
O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, anunciou em março a abertura de um inquérito para investigar casos …
4
01:03
Ex-presidente do Peru tenta suicídio após receber ordem de prisão
O ex-presidente do Peru Alan García morreu nesta quarta-feira,17, após atirar contra si mesmo em uma tentativa de suicídio em …
5
04:45
Famosos fazem desabafo sobre depressão
Recentemente, o humorista Whindersson Nunes publicou uma série de posts em sua rede social desabafando sobre um sentimento profundo de …
6
01:32
Quem disse que não dá para surfar na cidade?
A Surf House Brasil é o lugar perfeito para você quer aprender a surfar ou ficou com saudade de pegar …
7
01:45
Catedral de Notre Dame: 8 séculos de história queimam em Paris
Um incêndio de grandes proporções atingiu a Catedral de Notre Dame, em Paris. O local é um dos pontos turísticos …
8
02:29
Vídeo analisa a maior irresponsabilidade na vida de Bolsonaro
O presidente Jair Bolsonaro mandou desativar os radares de rodovias federais. Será que é uma boa ideia? A Folha de São …