Liberação para buscar menino em túnel do metrô levou 61 minutos

Luan Silva de Oliveira, de 3 anos, morreu na estação Santa Cruz do metrô após ter saído de vagão e se perdido da família; Caso aconteceu no último dia 23

Por: Redação | Comunicar erro

O jornal Folha S. Paulo publicou nesta quarta-feira, 3, informações de um relatório produzido pelo Metrô de São Paulo e apresentado em reuniões internas da companhia sobre o caso do menino Luan Silva de Oliveira, de 3 anos. Ele foi encontrado morto em um túnel da linha 1-azul após sair de vagão e se perder de familiares no último dia 23.

De acordo com a reportagem, o Metrô levou 61 minutos para autorizar as buscas pela criança nos trilhos da estação Santa Cruz em direção à estação Praça da Árvore. A primeiro aviso de que Luan havia se perdido dos familiares aconteceu às 11h07, por meio de um SMS no serviço de atendimento ao usuário da companhia. Pouco tempo depois, às 11h25, segundo documento publicado pela Folha, funcionários solicitam liberação para realizar as buscas no túnel, mas a positiva só é recebida às 12h08.

Crédito: iStock/MarcosMartinezSanchezMenino se perdeu dos pais na estação Santa Cruz do metrô

O texto também aponta que durante todo o período, desde o recebimento do SMS,  funcionários procuraram pela plataforma, na entrada do metrô, em um shopping que se conecta a estação e nas instalações da  linha 5-lilás, que faz conexão com a 1-azul.

Às 12h22, Luan é avistado nos trilhos e às 12h46 equipes conseguem chegar ao local. O menino é levado à plataforma e, às 12h58, é encaminhado ao Hospital São Paulo, onde morre em seguida.

Naquele dia, a criança e seus familiares pretendiam chegar até o terminal Jabaquara, na linha 1-azul, para tomar um ônibus em direção a Santos, no litoral paulista.

O caso trouxe à tona a discussão sobre a necessidade de instalar portas automáticas nas plataformas para impedir que usuários acessem os trilhos.

Compartilhe:

1 / 8
1
02:53
Suzano e Nova Zelândia: os impactos da exposição excessiva
A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, disse que o nome do atirador que matou 50 pessoas em uma mesquita em …
2
02:28
Posse de armas: Nova Zelândia dá exemplo de civilidade ao mundo
Após chocar o mundo nesta semana com o massacre de 50 pessoas em duas mesquitas de Christchurch, a Nova Zelândia …
3
03:10
Entenda o mistério por trás da boneca Momo
Ainda mais perturbador, o Desafio da Momo está de volta e desta vez a boneca aparece supostamente dentro de vídeos …
4
02:25
Bolsonaro apoia a construção de muro entre EUA e México
Em viagem diplomática a Washington, o presidente Jair Bolsonaro disse apoiar a construção do muro na fronteira entre EUA e México, …
5
01:42
A nova decisão do STF e o futuro da Lava Jato
O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que a partir de então os crimes de lavagem de dinheiro e corrupção quando …
6
02:31
Atentado na Nova Zelândia: crimes transmitidos nas redes sociais
Mais um atentado terrorista chocou o mundo nesta sexta-feira, dia 15. Um atirador realizou ataques simuntâneos em duas mesquitas, deixando …
7
01:45
O lugar em que os atiradores de Suzano foram considerados heróis
Uma reportagem publicada nesta terça-feira, 14, pelo portal da Vice indica que os atiradores que invadiram a Escola Estadual Raul …
8
04:17
Últimas notícias sobre a tragédia em Suzano