Médica brasileira expõe preconceito após participar Miss Bumbum

Rayane também conta que vem sofrendo ataques machistas nas redes sociais

Por: Redação
Ouça este conteúdo

A médica brasileira Rayane Laura Souza, que representou a França no Miss Bumbum World 2019 revelou que está com dificuldades conseguir um trabalho.

Morando atualmente na Bolívia, Rayane, 26 anos, deixou o trabalho fixo que tinha num hospital para participar do concurso, onde sagrou-se vice-campeã. Desde então, ela não consegue uma vaga.

Miss Bumbum
Crédito: Reprodução/InstagramRayane Laura Souza, 26 anos, foi vice-campeão do Miss Bumbum World 2019

“O fato de eu ser uma mulher bonita e ter participado do concurso faz com que eu sofra preconceito no trabalho. Adoro mostrar minha sensualidade nas redes sociais, mas isso não significa que eu não seja uma grande profissional dentro do hospital”, disse a jovem médica ao Daily Star.

No entanto, Rayane afirma que não se arrepende de ter participado do concurso e que tem muito orgulho de ter conquistado seu diploma na medicina. “Posso ser uma boa médica e ser sensual, não vejo problema nisso”.

Rayane também conta que vem sofrendo ataques machistas nas redes sociais.

“Medico é uma profissão que exige respeito e decência. Se fosse para as médicas mostrarem o rabo não era obrigatório o uso do jaleco”, escreveu um homem. Já outro duvida da legalidade do diploma “Duvido que tenha estudado. Precisa investigar isso aí”, escreveu.

Por que é importante lutar contra o machismo

Com a popularização de campanhas feministas, a luta contra o machismo tem ganhado cada vez mais força. O aumento das denúncias de assédio sexual, violência doméstica e estupro fortaleceu o movimento e também revelou que as agressões persistem no dia a dia de grande parte das mulheres.

Mas, afinal, o que é machismo? O que faz uma pessoa ser ou reproduzir falas machistas? Por que é importante lutar contra o machismo? A Catraca Livre vai te explicar tintim por tintim.

O que machismo?

O machismo é o preconceito que se opõe à igualdade de direitos entre os gêneros, favorecendo o gênero masculino em detrimento ao feminino. Em bom português: é toda a opressão sofrida por mulheres e produzida por homens.

Por exemplo, uma pessoa machista é quem acredita a mulher não deve se portar e ter os mesmo direitos de um homem ou que julga a mulher como é inferior ao homem em aspectos físicos, intelectuais e sociais.

O pensamento machista é totalmente cultural e pode vir de todo canto da sociedade, independente da classe social, posição política, religião ou família.

Por ter sido tratado como algo normal por muito tempo, há apenas algumas décadas esse comportamento é problematizado, especialmente pelos movimentos feministas, que lutam pela igualdade de gênero.

E mesmo com o avanço da luta feminista, não é todo mundo que concorda que o machismo deve ser combatido. Isso faz com que, mesmo com os esforços feministas, ele ainda esteja presente em tantos ambientes.

Para saber mais sobre machismo, clique aqui.

Compartilhe: