Médico aponta arma para paciente e é preso por porte ilegal

No Rio, polícia encontrou várias armas diferentes no carro do pulmologista Enio Studart

Por: Redação

No Rio, um médico apontou uma arma para um paciente e foi preso.

Aconteceu na quinta, 30, em um consultório na Barra da Tijuca.

O médico apontou a arma após uma discussão
Crédito: Reprodução/FacebookO médico apontou a arma após uma discussão

O pneumologista Enio Studart atendia um paciente que teve coronavírus há dois meses.

O paciente conta que pediu para ser atendido porque se sentia muito cansado.

Segundo seu relato, durante a consulta os dois se desentenderam por conta de um exame para detectar o coronavírus. Enio teria questionado a qualidade do teste.

O médico, então, sacou uma arma de uma mochila e a apontou para o paciente, enquanto o ameaçava.

O paciente saiu da clínica e chamou a Polícia Militar. Foram em seguida para a 16ª DP, na Barra da Tijuca.

O médico já se encontrava no local para dar a sua versão dos fatos.

A polícia confrontou os relatos e desconfiou da versão do profissional de saúde.

Assim, decidiu investigar o carro do médico.

E, no veículo, encontrou um arsenal: um revólver, uma pistola, um soco inglês, duas facas, munições de diferentes calibres e um carregador de pistola.

A partir dessa apreensão, o médico que apontou uma arma para o paciente foi preso em flagrante por ameaça e porte ilegal de arma de fogo.