Menina de 12 anos é estuprada dentro de escola em Osasco

ALERTA DE GATILHO: Abuso sexual e estupro

Por: Redação

A polícia investiga o estupro de uma menina de 12 anos dentro de uma escola estadual de Osasco, na Grande SP. O crime ocorreu na manhã da última quinta-feira, 7, por volta das 9h30, durante a aula de educação física.

A adolescente, que está no 6º ano do ensino fundamental da Escola Estadual Educador Paulo Freire, no Jardim Aliança, disse ao jornal Agora que um colega de sua turma a chamou para buscar uma flor ao lado da quadra de esportes, mas que chegando lá havia um outro rapaz.

Crédito: Reprodução/GoogleStreetViewFachada da Escola Estadual Educador Paulo Freire, em Osasco (SP), onde ocorreu o estupro

Segundo a garota, ele começou a tirar a roupa dela e a ameaçá-la de morte caso ela gritasse.

Após o estupro, a jovem procurou pela direção da escola, que acionou a Polícia Militar e o Conselho Tutelar.

A menina foi levada pela família a um hospital da região de Osasco, onde foi feito exames e constatado que ela realmente havia sido violentada. Ainda segundo a reportagem do Agora, por conta da gravidade dos ferimentos, a menina foi transferida para o Hospital Pérola Byington, na capital, onde passou por cirurgia e permanece internada.

O autor do estupro ainda não foi identificado. A direção da escola disse que não há câmeras de segurança local que possam identificar o agressor.

Em nota, a Diretoria Regional de Ensino de Osasco afirmou “repudiar todo e qualquer ato de violência” e que a escola colabora com a Polícia Civil para investigação do caso.

O caso foi registrado como estupro de vulnerável na 4º Distrito Policial de Osasco.

Saiba como denunciar casos de assédio sexual ou estupro

O assédio contra mulheres envolve uma série de condutas ofensivas à dignidade sexual que desrespeitam sua liberdade e integridade física, moral ou psicológica.

Crédito: Catraca LivreSaiba o que fazer em caso de estupro

Lembre-se: onde não há consentimento, há assédio! Não importa qual roupa você vista, de que modo você dance ou quantas e quais pessoas você decidiu beijar (ou não beijar): nenhuma dessas circunstâncias autoriza ou justifica o assédio. Saiba mais sobre que fazer em caso de estupro.