Professora é estuprada dentro de escola municipal em São Paulo

Vítima foi em um sábado para a instituição fazer reposição de aulas

Por: Redação

Uma professora da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Dama Entre os Rios Verdes, no Itaim Paulista, zona leste de São Paulo (SP), alegou ter sido vítima de estupro na manhã do último sábado, 28, dentro do estacionamento da instituição onde leciona.

De acordo com o “Bom Dia SP”, da Globo, a escola estava aberta no sábado para reposição de aulas. A vítima, que tem 40 anos de idade e dá aulas no colégio há oito, não teve sua identidade revelada.

escola municipal do itaim paulista
Crédito: Reprodução Professora foi estuprada no estacionamento de uma escola municipal de São Paulo

A Polícia Civil relatou que, por volta das 10h30, a vítima saiu da sala de aula e foi até o estacionamento para fumar um cigarro. Nesse momento, um homem armado teria invadido a escola supostamente para fazer um assalto, mas viu a mulher e decidiu estuprá-la.

Homem é preso por sequestrar e estuprar enteada de 11 anos

“Ele puxou a calça: ou você faz o que eu quero ou levo você com o carro. Aí eu fiquei com medo dele, de me levar”, disse a professora ao telejornal.

Após o crime, o homem ainda teria ameaçado a vítima de morte, caso ela procurasse a polícia e relatasse o estupro. Apesar da ameaça, a professora registrou um boletim de ocorrência, mas suspeito ainda não foi identificado.

A Polícia Civil informou também que a vítima foi à Delegacia De Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para fazer um retrato falado do suspeito que deverá ser divulgado.

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação (SME) lamentou o caso e disse que está apoiando a professora e colaborando com as investigações da polícia.

Como denunciar casos de assédio sexual ou estupro

O assédio contra mulheres envolve uma série de condutas ofensivas à dignidade sexual que desrespeitam sua liberdade e integridade física, moral ou psicológica. Lembre-se: onde não há consentimento, há assédio! Não importa qual roupa você vista, de que modo você dance ou quantas e quais pessoas você decidiu beijar (ou não beijar): nenhuma dessas circunstâncias autoriza ou justifica o assédio. Confira os detalhes no link abaixo: