Mulher de atirador sabia do ataque e poderá ser acusada pela polícia

Com informações da BBC Brasil

Por: Redação

A mulher de Omar Mateen, o atirador que matou 49 pessoas e feriu mais de 50 na boate Pulse, voltada ao público LGBT de Orlando, na Flórida, sabia dos planos do marido para o massacre. A esposa, Noor Salman, poderá ser indiciada como cúmplice do maior atentado a tiro da história recente dos EUA, de acordo com a agência de notícias Reuters, que atribuiu a informação a fontes da polícia.

O ataque ocorreu na madrugada do último domingo, dia 12. Mateen foi morto a tiros pela polícia após permanecer três horas no local. Antes de disparar, o atirador ligou para o serviço de atendimento ao público da polícia e disse que tinha lealdade ao Estado Islâmico e a outros grupos militantes muçulmanos.

Omar Mateen e a esposa, Noor Salman, teriam um filho

O senador norte-americano, Angus King, integrante do Comitê de Inteligência do Senado, disse à rede de televisão CNN que recebeu informações sobre as investigações a respeito do massacre, que confirmam o envolvimento de Noor Salman.

As investigações revelam que Mateen se orientava por informações que reunia na internet. No entanto, não há evidências de que ele tenha recebido instruções de grupos do exterior, como o Estado Islâmico. O atirador de 29 anos era cidadão norte-americano e os pais são imigrantes afegãos.

A polícia também investiga informações, recebidas de várias fontes, de que Omar Mateen seria um frequentador de clubes gays, inclusive da boate Pulse. Segundo a imprensa norte-americana, o atirador tinha interesse em acessar sites de namoro gay na internet.

Leia a reportagem na íntegra.

Compartilhe:

Tags:#Crime