Deputados acionam PGR contra SBT por vinheta que alude à ditadura

Informar

Mulher morre após ser torturada durante dois dias pelo namorado

A vítima e o acusado mantinham relacionamento há três anos e as brigas entre os dois eram constantes, segundo a polícia

Por: Redação | Comunicar erro
mulher torturada pelo namorado
Crédito: Divulgação/Polícia CivilVítima foi torturada por dois dias, segundo a Polícia Civil

Mais um crime bárbaro de feminicídio foi registrado em São Paulo. Dessa vez, uma mulher foi encontrada morta pela polícia após ser torturada por dois dias consecutivos pelo namorado. O suspeito está preso.

De acordo com informações do portal G1, o casal estava junto há três anos, mas, segundo vizinhos, as brigas entre os dois eram constantes, sempre motivadas por causa da bebida e ciúmes. A vítima, identificada como Leonice Pinto de Oliveira, de 34 anos, foi morta na noite da terça-feira, 6.

Segundo a Polícia Civil, assim que os agentes chegaram no endereço, eles encontraram o imóvel bagunçado e a mulher desfigurada e morta no chão da casa com vários hematomas provocados por agressões, além de cortes pelo corpo.

Na delegacia, o acusado confirmou que as brigas entre ele e a companheira aconteciam com frequência e, segundo contou, as agressões eram mútuas. Ele disse ainda que ao sair de casa a namorada continuava viva. Para os investigadores, as agressões começaram no domingo, 4.

Eliomar Jesus do Nascimento responderá por homicídio provocado por motivo fútil, tortura e meios que dificultaram a defesa da vítima.

Violência contra a mulher

Atualmente, só no Brasil, o número de mulheres que morrem ou são violentadas é alarmante e demanda conscientização sobre os direitos e liberdades de cada um. No período de 1 ano, entre março de 2016 e 2017, o país registrou 8 casos do crime por dia.

Saiba como funciona a Central de Atendimento à Mulher – ligue 180
Assédio e violência são as principais preocupações das mulheres. A pesquisa foi realizada pelo Instituto Ipsos em 27 países, incluindo o Brasil. Entenda o estudo.

Violência contra a mulher: conheça os tipos e como denunciar

Compartilhe: