Mulher pula de carro a 100 km/h para fugir de ex-namorado em GO

De acordo com a Polícia, o acusado já tinha sido preso em julho deste ano por violência doméstica praticada contra a vítima

Por: Redação
mulher pula de carro para fugir do ex
Crédito: DivulgaçãoA vítima foi ameaçada pelo ex com uma arma de fogo

Uma mulher de 28 anos pulou de um carro que estava a 100 km/h para fugir das garras do ex-namorado, que, segundo contou, queria matá-la. O caso aconteceu na última segunda-feira, 10, em Goianira, região metropolitana de Goiás.

De acordo com informações do portal G1, na ocasião da tentativa do crime, a massoterapeuta, que não teve a identidade revelada, ia atender uma cliente, quando foi abordada pelo antigo companheiro, que a ameaçou com uma arma de fogo.

“Eu estava indo para atender uma cliente minha, ele [o acusado] me pegou na porta da minha casa, entrou dentro do carro, colocou uma arma em mim e falou para eu andar e falou que ia me matar. Ele viu um mato e falou que era para eu entrar na rua de chão, eu estava a quase 100 km/h, abri a porta do carro e me joguei”, relatou.

Por conta do impacto com a terra ao saltar do veículo em andamento, a vítima teve várias escoriações pelo corpo: no braço, barriga, costas e pernas. Ainda, ela precisará passar por uma cirurgia ortopédica por causa das fraturas na mão.

Após pular do carro, a massoterapeuta disse que contou com a ajuda de outro motorista que a socorreu e algumas outras pessoas, que presenciaram o ato e se aproximaram para ver o que estava acontecendo, o que impediu que o agressor continuasse em seu encalço.

“Eu acho que na hora que eu pulei, ele pegou o volante e o carro parou batendo lá na frente, aí desceu do carro. Quando eu vi ele descendo do carro, eu levantei meio tonta e saí correndo. O povo viu e começou a juntar gente. Quando ele viu que estava juntando gente, ele correu”, disse.

Segundo o delegado responsável pela investigação, Bruno Costa e Silva, o acusado já havia sido preso em julho deste ano por agredir a ex-namorada, mas foi liberado pouco tempo depois, após audiência de custódia.

Violência contra a mulher

Atualmente, só no Brasil, o número de mulheres que morrem ou são violentadas é alarmante e demanda conscientização sobre os direitos e liberdades de cada um. No período de 1 ano, entre março de 2016 e 2017, o país registrou 8 casos do crime por dia.