Pastor é preso em flagrante por sequestro e estupro de criança de 9 anos

A menina contou à polícia que havia sido abusada sexualmente dentro da igreja

Por: Redação
Ouça este conteúdo

A polícia prendeu na tarde de ontem, 20, um pastor em flagrante por sequestro e estupro de uma criança de 9 anos em Taboão da Serra, na Grande SP.

De acordo com a PM (Polícia Militar), o pastor Sérgio Gomes, 43 anos, da Igreja Assembleia de Deus, sequestrou a menina com a justificativa de que a levaria para almoçar. As informações são da Band TV.

pastor
Crédito: Reprodução/Band TVO pastor Sérgio Gomes, 43 anos, da Igreja Assembleia de Deus, foi preso em flagrante

Após o sumiço do pastor, a mãe da criança e a mulher do homem foram à delegacia fazer a denúncia.

Segundo a polícia, a menina contou que havia sido abusada sexualmente dentro da igreja e essa não teria sido a primeira vez. O acusado foi preso em flagrante, mas negou o crime. Também à polícia, a esposa do suspeito, que está grávida de 7 meses, disse que desconfiava do marido e do excesso de carinho pela menina.

De acordo com a reportagem da Band TV, a criança passou por exames no Hospital Pérola Byington. No carro do acusado foram encontrados objetos como brinquedos, brilho labial e doces. O caso foi registrado na Delegacia de Polícia de Defesa da Mulher de Taboão da Serra.


A diferença entre Sara Winter e Felipe Neto no caso da menina estuprada

Menina de 10 anos ganha muitos presentes no hospital apos procedimento

Menina de 10 anos ganha alta hospitalar após interromper gestação

Whindersson oferece tratamento psicológico à criança grávida por estupro

Após atender menina estuprada, médico diz que nunca foi tão hostilizado


Como denunciar casos de abuso infantil e como orientar a criança

Casos como o desta menina de 10 anos, abusada pelo próprio tio, infelizmente não são raros no Brasil. O Disque 100 recebe milhares de denúncias por ano, mas sabemos que esses dados não estão nem perto da realidade, uma vez que ainda é difícil ter estatísticas que realmente abranjam o problema de forma real.

Isso se dá por inúmeros fatores como, por exemplo, pelo preconceito e pelo silêncio das vítimas (que às vezes não entendem o que está acontecendo com elas) e pela “vergonha” e falta de informação sobre o assunto de familiares.

Reconhecer os tipos de abusos e saber orientar as crianças é fundamental. Veja aqui como fazer isso.

Compartilhe: