Últimas notícias:

Loading...

PM mata motorista de aplicativo em posto de gasolina de Niterói (RJ)

O policial alega que os dois tiros que mataram o motorista foram em legítima defesa; O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios de Niterói

Por: Redação
Ouça este conteúdo

Na noite desta última terça-feira, 17, um motorista de aplicativo, identificado como Diego Soares Sampaio, foi baleado e morto dentro de um posto de gasolina em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, por Giovani Peçanha de Athaíde, um agente da polícia militar. O policial foi ouvido pela Polícia Civil e liberado logo na sequência. Durante o acontecimento, o oficial estava de folga.

PM mata motorista de aplicativo em posto de gasolina de Niterói (RJ)
Crédito: Reprodução/TV GloboPM mata motorista de aplicativo em posto de gasolina de Niterói (RJ)

De acordo com a esposa da vítima, a discussão teria começado entre o policial militar e um frentista. Logo após, ainda segundo a mulher, houve um outro desentendimento entre o policial e ela e o marido.

As imagens de uma câmera de segurança revelam o momento exato que motorista sai do carro, vai em direção ao policial e recebe um tiro.

Assista o vídeo

O que casou as discussões

Segundo testemunhas, a primeira discussão do PM foi com um frentista do posto. Logo atrás, estavam o motorista e sua mulher, que reclamaram da demora. Isso gerou outra discussão, que ainda de acordo com as testemunhas se iniciou porque o policial chegou a xingar a mulher.

Foi nesse momento que o casal saiu do carro, o motorista de aplicativo foi em direção ao policial e levou 2 tiros do policial.

Quem era o motorista?

Diego Soares Sampaio foi baleado duas vezes no abdômen, chegou a ser levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo, mas não resistiu e morreu. Ele deixa uma filha de 8 anos.

De acordo com a mulher de Diego, não houve chance dele se defender. “Eu já tava indo embora e falei pra ele [o policial] é só puxar o carro pra frente. ‘Você está atrasando a vida de todo mundo’. Aí ele começou a falar palavrão. Eu falei que ele não tem necessidade de você estar xingando. Ele saiu de dentro do carro. Só que eu não vi que ele estava armado. Meu marido saiu. Quando meu marido e saiu chegou perto dele, ele já deu um tiro. Nisso que ele deu um tiro, meu marido caiu. Eu entrei na frente ele deu outro tiro, entendeu? Não teve nem chance de se defender porque ele já saiu atirando já”, disse a auxiliar de enfermagem Hellen Cristina Nascimento ao G1.

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG). A polícia disse que ainda vai ouvir as testemunhas.

De acordo a corporação, o policial disse que o motorista de aplicativo desceu do carro intencionado a agredi-lo e que não respeitou a ordem de parar. O agente da polícia teria dito que os disparos foram efetuados com o objetivo de conter a situação.

Compartilhe: