Polícia investiga tráfico de animais após jovem ser picado por naja

A polícia encontrou 16 cobras exóticas em criadouro clandestino; suspeita é de que sejam do estudante de veterinária

Por: Redação

A Polícia Civil do Distrito Federal investiga o caso do estudante de veterinária picado por uma cobra naja como tráfico de animais. Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkul, 22 anos, sai do coma, mas segue internado UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Maria Auxiliadora.

De acordo com amigos, o jovem está com necrose no braço e lesões no coração e seu quadro de saúde ainda é grave.

naja
Crédito: Divulgação /BPMA-DFCobra naja integra a lista das serpentes mais venenosas do mundo

Pedro foi picado pela serpente na terça-feira, 7, no sítio em que mora no Gama, cidade entorno do Distrito Federal.

A cobra naja, considerada uma espécie exótica e um das mais venenosas do mundo, pertence ao próprio estudante.

Criadouro de cobras exóticas

Ontem, o Batalhão de Polícia Militar Ambiental do DF encontrou uma espécie de criadouro no Núcleo Rural Taquara, em Planaltina.

A suspeita é de que o local tenha relação com a cobra que picou o Pedro Henrique.

cobra naja
Crédito: Divulgação/BPMAPoliciais encontraram 16 serpentes escondidas, em caixas individuais, em uma baia de cavalo em Planaltina

Ao todo, 16 serpentes estavam escondidas, cada uma em uma caixa, em uma baia de cavalo.

De acordo com o delegado Ricardo Bispo , da 14ª DP no Gama, a suspeita é de que os animais sejam do estudante universitário.

Os policiais chegaram ao local após uma denúncia anônima. O caseiro da fazenda informou aos policiais que um amigo de Pedro Henrique deixou as cobras na noite anterior no local.

Compartilhe: