Projeto ‘Ladrilha’ espalha poesias e leva afeto às ruas do Rio

"O amor é isso tudo mesmo!" e "Toda mulher deve amar uma mulher" estão entre as frases coladas em ladrilhos no espaço público

Por: Heloisa Aun | Comunicar erro
Mulher coloca ladrilha com poesia nas ruas do Rio de Janeiro
Crédito: Tiago Petrik O projeto foi criado pela jornalista Fernanda Moreira
  • “O amor é isso tudo mesmo!”
  • “Toda mulher deve amar uma mulher”
  • “Silêncio é patuá de gente grande”
  • “Homem, tua fala não me cala”

Quem caminha pelas ruas do Rio de Janeiro pode se deparar com ladrilhos com alguma das poesias citadas acima. As frases fazem parte do projeto “Ladrilha”, criado em 2017 pela jornalista Fernanda Moreira para levar afeto ao espaço público.

A iniciativa nasceu como uma ideia de intervir nas ruas e por meio de um material que trouxesse uma estética poética para a cidade, se alinhando à narrativa afetiva das frases. “É um projeto de intervenção com a vontade de gerar surpresa boa. De dar abraço. De transbordar e encostar no outro. De me encostar no outro”, afirma Fernanda à Catraca Livre.

Segundo a jornalista, as poesias são criadas por ela mesma a partir de experiências pessoais e de acontecimentos marcantes, como o impeachment da presidente Dilma Rousseff, em 2016, e o assassinato da vereadora Marielle Franco, em março deste ano. “Há frases mais políticas, mais afetivas e também outras que falam muito de mim.”

Até o momento, o projeto já espalhou mais de 30 ladrilhos pelo Rio e há alguns poucos no Beco do Batman, em São Paulo, e no Pelourinho, em Salvador. “Vez ou outra, ando com ladrilho e cola na bolsa. Vejo um muro legal, colo. A escolha é empírica até. Não criei ainda uma racionalidade sobre isso. Vou na intuição”, explica.

Ladrinho colado nas ruas do Rio tem a frase "Carnaval é amor (próprio)
Crédito: Reprodução / LadrinhaA iniciativa busca transformar o espaço público e o dia das pessoas

Para Fernanda, a importância da intervenção urbana revela “a necessidade de sobreviver nos conectando com o que é verdade para nós”. “Ocupar o espaço público, nos manifestar, ser um corpo coletivo, olhar o outro, tocar o outro”, ressalta.

“Como mulher, ir às ruas e dizer o que sinto, através das palavras, do meu texto, do que escolhi transbordar, é uma forma de resistência. É reafirmar a minha voz. É multiplicar o feminino. É alcançar quem se identifica. E é também falar de afeto num ambiente extremamente hostil e, cada vez mais, ameaçador”, finaliza a jornalista.

Confira mais fotos:

Crédito: Reprodução / Ladrinha
Crédito: Tiago Petrik
Crédito: Reprodução / Ladrinha
Crédito: Tiago Petrik
Crédito: Reprodução / Ladrinha

Compartilhe:

Autor: Heloisa Aun

Feminista, vegetariana e repórter de Cidadania no Catraca Livre. ("nossas costas / contam histórias / que a lombada / de nenhum livro / pode carregar" - Rupi Kaur)

1 / 8
1
02:09
Maioria reprova mudanças para o trânsito propostas por Bolsonaro
De acordo com uma pesquisa Datafolha, divulgada neste domingo, dia 14, a maioria da população reprova o projeto de lei …
2
02:00
Jair Bolsonaro volta a defender filho Eduardo na embaixada nos EUA
Alvo de críticas desde a última semana por indicar Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para a embaixada do Brasil nos Estados Unidos, …
3
04:13
Eduardo Bolsonaro ganha bolsa embaixada de seu pai
O presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista que pretende indicar seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, como embaixador do …
4
06:27
Previdência: entenda como pode ficar a sua aposentadoria
A Câmara dos Deputados aprovou com 379 votos o texto-base da reforma da Previdência. No entanto, a proposta ainda pode …
5
01:58
Desastre na Bahia: Barragem se rompe e moradores deixam suas casas
Uma barragem se rompeu na cidade de Pedro Alexandre, a 435 quilômetros de Salvador, na Bahia, na manhã desta quinta-feira, …
6
16:59
Glenn no Senado: confira os principais momentos do depoimento
O jornalista Glenn Greenwald, editor do portal The Intercept Brasil, foi ao Senado prestar esclarecimento sobre o vazamento das mensagens …
7
03:14
Dimenstein: Por que eu defendo a reforma da previdência?
A Câmara aprovou nesta quarta-feira, 10, o texto principal da reforma da Previdência. O placar foi de 379 votos a …
8
03:22
Dimenstein: por que eu defendo Tabata Amaral?
Em meio à polêmica envolvendo a votação pela reforma da Previdência, que aconteceu nesta quarta-feira, 10, no plenário da Câmara, …