Repórter que denunciou assédio do cantor Biel mostra o rosto

Por: Redação

A repórter Giulia Pereira resolve mostrar o rosto pela primeira vez para falar sobre o assédio que sofreu do funkeiro MC Biel.

“Antes de eu começar a gravar, ele olhou para mim e disse que eu tinha cara de quem senta na frente da sala de aula e que, na época de colégio, ele estava muito ocupado comendo almofadas. Aí, ele pergunta se a minha entrevista era a última do dia. Eu respondi que não. Em seguida, ele emendou: ‘Que pena. Se fosse a última, eu te levava para o hotel e te estuprava rapidinho’”, contou Giulia para o programa do Gugu.

 

Sobre a demissão do portal IG, ela disse não entender os motivos do desligamento. “Eles falaram que fazia parte de um corte de estagiários. Mas não entendi. Sem dúvidas o desligamento está relacionado a denúncia. Não vejo outro motivo. Falaram em corte, mas nenhum outro foi dispensado e ainda abriram outras vagas”.

A demissão dela teve impacto nas redes sociais. O IG recebeu milhares de comentários de internautas indignados com a demissão. “Que feio, ein? Logo quando a repórter precisa da proteção de vocês, em um momento complicado como esse, vocês demitem ela?”, questionou uma leitora.

Procurado pelo Catraca Livre, o portal iG comentou o caso por meio de uma nota enviada por e-mail: “A empresa está seniorizando a equipe no intuito de melhorar nosso conteúdo próprio. Trata-se de uma reestruturação normal em função dessa necessidade. A repórter continuará recebendo todo o apoio da empresa e seus funcionários no caso“.

Entenda o caso

Em junho, a repórter do portal denunciou o MC Biel por assédio sexual. A jornalista afirma que o cantor de 20 anos a chamou de “gostosinha” e disse que “a quebraria no meio” se mantivesse relações sexuais com a profissional.

As frases foram ditas em maio deste ano, durante entrevista para a divulgação do novo CD do artista, em São Paulo. A conversa entre eles foi testemunhada por outras pessoas que acompanhavam a conversa.

Em determinado momento da entrevista, ele teria chamado ela ainda de “cuzona” e perguntado se ela queria um selinho. No vídeo, são ouvidos risos ao fundo, enquanto uma pessoa que acompanha a filmagem justifica a atitude. “Relaxa, ele é assim mesmo”.

Compartilhe: