Saiba como ajudar a população em situação de rua em SP

Por: Redação | Comunicar erro

Os termômetros da cidade registram menos de 10 graus em uma semana marcada por temperaturas mínimas recordes. Cinco mortes registradas. Uma delas ao lado de um antigo abrigo desativado pela prefeitura de São Paulo.

A falta de políticas públicas para o frio que mata dezenas de pessoas, todos os anos, na capital paulista será tema da manifestação “Em Memória das Vítimas do “Frio”. Prefeitura + Especulação Imobiliária = morte dos mais pobres”, que acontece nesta quinta-feira , a partir das 18h, na Praça da Sé.

“O frio mata quem dorme nas ruas da cidade, mas não é culpa somente das temperaturas, por trás há gestões favoráveis à especulação imobiliária que joga nas ruas da cidade as pessoas mais pobres. Aumentando assim a desigualdade e restringindo ainda mais o acesso a cidade”, ressalta o texto de apresentação do evento.

Campanhas arrecadam mantimentos e oferecem abrigo para moradores de rua

Nos últimos dias, inúmeras campanhas são organizadas na cidade desde a chegada das baixas temperaturas. A exemplo do projeto Entrega SP, um trabalho voluntário que arrecada alimentos, roupas e itens de higiene distribuídos para a população de rua. As entregas acontecem uma vez por semana, na Praça Charles Miller.

Reprodução (SP Invisível)
Segundo pesquisas recentes, São Paulo tem quase 16 mil pessoas em situação de rua

No último dia 8 junho, o projeto SP Invisível lançou uma campanha de incentivo ao compartilhamento de roupas nas ruas. A ideia é simples e para participar é fácil:

“O SP invisível quer te fazer um desafio: quando for ao trabalho, escola, faculdade ou a qualquer lugar, leve sempre uma blusa a mais com você e dê para quem está com frio nas ruas. Além disso, aproveite esse tempo para conversar um pouquinho com a pessoa e ouvir algumas histórias. Compartilhe esse desafio e vamos todos e todas tornar São Paulo um lugar mais quente e com mais amor”.

Convento São Francisco abre as portas e conta com a sua ajuda 

Uma postagem compartilhada nas redes sociais destaca a ação do Convento São Francisco, que abriu as portas de suas dependências, no centro da cidade, para acolher a população em situação de rua. Além disso, os franciscanos lançaram uma campanha de arrecadação de sabonetes, creme dental, escova, aparelho de barbear e shampoo. As doações podem ser entregues no Largo São Francisco, 133, na portaria do convento.

Compartilhe:

1 / 8
1
53s
Operação Lava-Jato prende ex-presidente Michel Temer
Em mais uma etapa da Operação Lava-Jato, a Polícia Federal prendeu na manhã desta quinta-feira, 21, o ex-presidente Michel Temer, …
2
02:53
Suzano e Nova Zelândia: os impactos da exposição excessiva
A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, disse que o nome do atirador que matou 50 pessoas em uma mesquita em …
3
02:28
Posse de armas: Nova Zelândia dá exemplo de civilidade ao mundo
Após chocar o mundo nesta semana com o massacre de 50 pessoas em duas mesquitas de Christchurch, a Nova Zelândia …
4
03:10
Entenda o mistério por trás da boneca Momo
Ainda mais perturbador, o Desafio da Momo está de volta e desta vez a boneca aparece supostamente dentro de vídeos …
5
02:25
Bolsonaro apoia a construção de muro entre EUA e México
Em viagem diplomática a Washington, o presidente Jair Bolsonaro disse apoiar a construção do muro na fronteira entre EUA e México, …
6
01:42
A nova decisão do STF e o futuro da Lava Jato
O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que a partir de então os crimes de lavagem de dinheiro e corrupção quando …
7
02:31
Atentado na Nova Zelândia: crimes transmitidos nas redes sociais
Mais um atentado terrorista chocou o mundo nesta sexta-feira, dia 15. Um atirador realizou ataques simuntâneos em duas mesquitas, deixando …
8
01:45
O lugar em que os atiradores de Suzano foram considerados heróis
Uma reportagem publicada nesta terça-feira, 14, pelo portal da Vice indica que os atiradores que invadiram a Escola Estadual Raul …