Santos perde patrocinador após contratar Robinho

Orthopride cita "respeito às mulheres" para rescindir contrato com clube da Baixada Santista

Por: Redação
Ouça este conteúdo

O Santos sofreu a primeira baixa após a contratação do atacante Robinho, 36 anos, condenado por estupro na Itália. A Orthopride, empresa de ortodontia, rompeu contrato de publicidade com o clube da Baixada Santista, ao qual patrocinava desde 2018.

A marca estampava a parte interior dos números na camisa do Santos.

Robinho
Crédito: Divulgação / Santos FCRobinho assina com o Santos

Santos suspende contrato com Robinho após gravação vir á público

O anúncio foi feito pelo diretor de operações da empresa, Richard Adam, em entrevista ao GE.

Casagrande critica contratação de Robinho e dispara: ‘Estou assustado’

“Nós temos enorme respeito pela história do Santos. Mas neste momento decidimos pelo rompimento do contrato de patrocínio. Nosso público é majoritariamente feminino e, em respeito às mulheres que consomem nossos produtos, tivemos que tomar essa decisão. Queremos deixar claro que não fomos informados previamente sobre a contratação do Robinho, fomos pegos de surpresa pela imprensa no fim de semana”, explicou o diretor.

Esta é a terceira passagem de Robinho pelo Santos. O jogador e assinou um contrato de cinco meses. No entanto, o que era para ser motivo de festa pelo retorno do ídolo tem despertado diversas críticas por conta de um caso de estupro envolvendo o jogador.

Condenado em primeira instância a nove anos de prisão pelo estupro de uma mulher, Robinho responde pelo crime, julgado em Milão na Itália. O caso aconteceu em 2013 quando o atacante defendia o Milan. A decisão da justiça italiana ainda cabe recurso.

A Orthopride é a primeira empresa que toma uma ação efetiva por causa da chegada do jogador. Procurados pelo G1, os outros patrocinadores afirmaram que iriam procurar o clube para ouvir esclarecimentos sobre a situação.

O que fazer em caso de estupro?

  • Cuide da sua saúde em primeiro lugar. Antes de se preocupar com as medidas legais é importante receber atendimento médico, se necessário. Existem centros especializados em saúde da mulher que costumam estar melhor preparados para os casos de violência sexual.
  • Chame a polícia ou vá até uma delegacia.
  • Será feito um boletim de ocorrência e você será encaminhada, em seguida, a um hospital para realizar exames e receber medicamentos para prevenir doenças sexualmente transmissíveis (como o HIV), além de receber a pílula do dia seguinte para evitar gravidez, caso já não tenha passado por atendimento médico.
  • O boletim de ocorrência logo após o crime é importante para que seja feito o exame de corpo de delito (realizado por um médico no Instituto Médico Legal — IML). Por essa mesma razão, não é recomendável que a vítima tome banho após o ocorrido, pois isso pode impedir a coleta de algumas provas importantes para a investigação e posteriormente para o processo criminal (ex: identificação da presença de sêmen o que pode auxiliar até na identificação do autor). Além disso, é importante guardar as roupas usadas no momento do crime para coleta de provas. O DNA do autor pode ser coletado destas peças de roupa, por exemplo.
  • Nos casos em que houve o uso de drogas como o “Boa Noite Cinderela” é importante que a vítima faça o Exame Toxicológico (através de exame de sangue e urina) em no máximo 5 dias após a ingestão. O ideal é fazê-lo o quanto antes possível.
  • Nunca se deve culpar a vítima pelo crime cometido contra ela. A culpa jamais será da vítima e pressão de amigos e familiares indagando sobre a roupa, comportamento, postura, circunstâncias corroboram para os altos índices de suicídio entre vítimas de estupro.