Últimas notícias:

Loading...

‘São fáceis porque são pobres’, diz Mamãe Falei sobre mulheres ucranianas

Internautas ficaram incrédulos com as falas machistas do parlamentar e dizem que atitude dele é considerada "assédio"

Por: Redação

Arthur do Val, o Mamãe Falei, pré-candidato ao governo de São Paulo pelo Podemos, causou polêmica mais uma vez. O parlamentar, que está na Ucrânia acompanhando o conflito in loco, disse que as mulheres da Ucrânia “são fáceis porque são pobres”. A declaração, que está em um áudio enviado a um amigo no Whatsapp, foi duramente criticada nas redes sociais.

'São fáceis porque são pobres', diz Mamãe Falei sobre mulheres ucranianas
Crédito: Reprodução/Instagram @arthurmoledoval‘São fáceis porque são pobres’, diz Mamãe Falei sobre mulheres ucranianas

Nos áudios enviados, Arthur do Val fala suas impressões sobre as mulheres ucranianas: “Detalhe, hein, mano, elas olham. E vou te dizer: são fáceis porque são pobres”

Em seguida, o político relata ter contado as mulheres bonitas que visualizou na alfândega e conta que assim que a guerra terminar retornará ao país.

“Mano, eu tô mal. Eu passei agora por quatro barreiras alfandegárias. Duas casinhas em cada país. Mano, eu juro pra você eu contei: são 12 policiais deusas. Mas deusas que você casa e faz tudo que ela quiser. Assim, eu tô mal. Eu não tenho nem palavras para expressar. Quatro dessas eram minas que você, mano, nem se te dizer, se ela cagar você limpa o cu dela com a língua. Assim que essa guerra passar vou voltar para cá.”

Em mais momento da gravação, ele chega a comparar as mulheres ucranianas com as brasileiras:

“Só vou falar uma coisa para vocês: acabei de cruzar a fronteia a pé aqui, da Ucrânia com a Eslováquia. Maluco, eu juro, eu nunca na minha vida vi nada parecido em termos de mina bonita. A fila das refugiadas… Imagina uma fila sei lá, eu tô sem palavras. Sei lá de 200 metros ou mais e só deusa. É sem noção, cara, é inacreditável, é fora de série. Se você pegar a fila da melhor balada do Brasil, na melhor época do ano, não chega aos pés da fila de refugiados aqui. Eu tô triste porque é inacreditável.”

Arthur do Val também repetiu “as dicas” que diz ter recebido de Renan Santos, coordenador do MBL, sobre como “pegar” mulheres nas viagens em outros países.

“Você nunca pode ir para as cidades litorâneas. Você vai para as cidades normais, porque aí você pega as minas no mercado, na padaria. A recepcionista do hotel que deu em cima de mim aqui é… E essas cidades mais pobres, elas são as melhores. Realmente é outro mundo”, fala no áudio.

Repercussão na web

Você sabia que assédio é crime?

As violências que ocorrem no ambiente público e que popularmente chamamos de “assédio” abarcam uma multiplicidade de ações. Dentre elas estão as cantadas inapropriadas, insistentes e degradantes, passando por condutas como apalpar, encoxar e até casos de ejaculação. Situações como essas não são incomuns no transporte público, nas ruas e até em carros de aplicativo de transporte.

A criação do crime de importunação sexual foi impulsionada pelo noticiamento constante de tais práticas abusivas e pela incapacidade da legislação anterior de abarcar, de forma adequada, alguns desses casos de violência sexual.

Antes do crime de importunação sexual, havia três formas de enquadrar condutas assim na esfera criminal: Ato Obsceno (artigo 233 do Código Penal, ainda em vigor); Contravenção Penal de Importunação Ofensiva ao Pudor (artigo 61 da Lei de Contravenções Penais, que foi revogado pela Lei 13.718/2018); e Estupro ou Estupro de Vulnerável (artigo 213 e 217-A do Código Penal, ainda em vigor). Para esclarecer cada caso, vamos falar sobre estes crimes e contravenções e depois abordaremos o caso da Importunação Sexual (inserido no artigo 215-A do Código Penal pela Lei 13.718/2018).

Compartilhe:

Tags: #Machismo
?>