EM ALTA

Tico Santa Cruz anuncia retirada de produtos do Carrefour e web pede mais

"Não comprem nada meu no Carrefour - NADA! Atenção Belas Letras retirem meus livros da venda do Carrefour IMEDIATAMENTE!!!", escreveu o cantor

Por: Redação
Ouça este conteúdo

Após o assassinato de João Alberto, um homem negro, por seguranças de uma loja do Carrefour, em Porto Alegre, na na quinta-feira, 19, véspera do Dia da Consciência Negra, o cantor Tico Santa Cruz anunciou, nesta sexta-feira, 20, o pedido para que sua editora retire seu livro das prateleiras e e-commerce do supermercado. Na web, internautas agiram no mesmo sentindo e uma campanha de boicote à rede varejista surgiu nas redes sociais.

tico santa cruz
Crédito: Reprodução/InstagramTico Santa Cruz anuncia retirada de produtos do Carrefour e web pede mais

Vizinho do homem negro assassinado no Carrefour conta detalhes do crime

“Não comprem nada meu no Carrefour – NADA! Atenção Belas Letras retirem meus livros da venda do Carrefour IMEDIATAMENTE!!!”, escreveu Tico Santa Cruz em sua conta no Twitter, após ser provocado com um print de sua obra sendo vendida pelo Carrefour. “Vai aceitar que eles comercializem seus produtos?”, questionou um internauta.

‘Racismo tirou quem eu mais amava’, diz pai de homem morto no Carrefour

Em seguida, Tico Santa Cruz afirmou: “O perfil @JoaquinTeixeira está fazendo piada com a indignação das pessoas que se mobilizaram por conta do assassinato de um homem negro! É um perfil de zoeira? Sim, mas não se brinca com a vida de uma pessoa morta por RACISMO! Endossar essa piada é ser RACISTA!”.

E mais uma vez exigiu: “Oi Belas Letras exijo que IMEDIATAMENTE todos os meus livros sejam retirados de venda do Carrefour!!!! Aguardo um posicionamento público da editora o quanto antes ou vou rescindir meu contrato com a Editora! Racismo não é piada”, escreveu Tico Santa Cruz.

“Esse livro foi lançado alguns anos atrás e não tenho acesso aos locais onde são vendidos, a editora Belas Letras é quem direciona as vendas. Mas diante do fato, ao invés de fazer piada com a morte de uma pessoa negra, estou aqui tomando uma atitude real e respeitosa”, afirmou o cantor.

Na web, internautas agiram no mesmo sentindo que se posicionou o cantor e uma campanha de boicote à rede varejista surgiu nas redes sociais. “Muitos foram os casos de racismo que acontecerem no interior de lojas da rede Carrefour. Não se trata de exceção, violência racial é sua regra. Por isso convocamos um BOICOTE NACIONAL as redes do Carrefour”, afirmou a Coalizão Negra, que puxou o movimento contra o supermercado.

Confira a repercussão: