Transporte público no Brasil tem avaliação negativa

Dados da consulta pública Cidades Sustentáveis, feita pelo Colab, mostram que brasileiro não viu melhora nesse quesito nos últimos dois anos

Por: Colab
Crédito: Rovena Rosa/Agência BrasilCorredor subterrâneo entre as estações Consolação e Paulista, que faz a integração entre as linhas verde e amarela do metrô de São Paulo. Rovena Rosa/Agência Brasil

Você acredita que, em sua cidade, o acesso a transporte público seguro, a preço justo, acessível e sustentável melhorou nos últimos dois anos? Se sua resposta foi sim, considere-se sortudo.

Essa não é a avaliação feita pela maior parte dos brasileiros na consulta pública Cidades Sustentáveis, realizada pelo Colab em parceria com o ONU-Habitat: 74% daqueles que responderam ao questionário discordam dessa afirmação. Apenas 15% disseram acreditar que houve melhoria.

Mais de 5 mil pessoas já participaram da consulta que fica disponível até dia 24/12. Para dar a sua opinião sobre a cidade onde vive, basta clicar aqui.

Maior metrópole do Brasil, São Paulo tem, surpreendentemente, uma avaliação melhor do que a nacional nesse quesito. Na capital paulista, o número de pessoas que concordam que houve melhoria nos transportes nesse período é de 27%, ante 61% de pessoas que discordam.

O acesso a transportes públicos seguros, a preço justo, acessíveis e sustentáveis na cidade onde moro está melhorando nos últimos dois anos

A consulta perguntou também se o acesso a um sistema de transporte seguro para pessoas em situação de vulnerabilidade, mulheres, crianças, pessoas com deficiência e idosos está melhorando. Apenas 17% das pessoas no Brasil concordam com essa afirmação, enquanto 69% discordam. O destaque negativo vai para o Rio de Janeiro. Lá, 77% das pessoas não veem melhoras no transporte público para pessoas vulneráveis, contra 6% de respondentes que concordam com a afirmação.

Na cidade em que vivo, o acesso a um sistema seguro de transporte público para pessoas em situação de vulnerabilidade, mulheres, crianças, pessoas com deficiência e idosos está melhorando nos últimos dois anos. 

Tempo perdido

Um relatório mundial elaborado pela Moovit em 2016 mostrou que, na maior parte das capitais brasileiras, o tempo médio gasto no deslocamento diário em transporte público ultrapassa 90 minutos.

No Recife, 34% dos usuários do transporte público gastam mais do que duas horas ao dia no deslocamento, número que é de 33% em Salvador, 32% no Rio de Janeiro e 30% em São Paulo. Esses dados mostram que o transporte público rouba tempo dos cidadãos e é uma das principais questões urbanas brasileiras.