Últimas notícias:
Loading...

Justiça pede exclusão de 270 contas do Twitter relacionadas a ataques em escolas

Foram cumpridos mandados de busca, resultando na apreensão de sete armas e na prisão de um suspeito

O Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) solicitou a exclusão de 270 contas do Twitter que veiculavam hashtags relacionadas a ataques contra escolas do país. Os perfis divulgavam hashtags associadas aos ataques recentes. A informação foi divulgada neste domingo, 9, pela pasta e pelo perfil oficial do ministro da Justiça, Flávio Dino.

A operação Escola Segura, organizada pelo MJSP em parceria com os estados, identificou mais de 80 perfis que tiveram seus links removidos por violação de política da plataforma. O conteúdo desses links foi preservado para que possa ser utilizado nas investigações.

Além disso, foram cumpridos mandados de busca, resultando na apreensão de sete armas e na prisão de um suspeito. Também foi solicitado ao TikTok que retire do ar duas contas que estavam transmitindo conteúdo que incitava medo nas famílias.

Criança denuncia pai à polícia para salvar vida da mãeMulher era vítima de violência doméstica e era ameaçada de morte, mas não quis denunciar o marido
Créditos: Cottonbro/Pexels
Criança denuncia pai à polícia para salvar vida da mãe
Mulher era vítima de violência doméstica e era ameaçada de morte, mas não quis denunciar o marido

A Diretoria de Operações Integradas e de Inteligência da Secretaria Nacional de Segurança Pública realizou diversas ações preventivas e repressivas contra ataques em escolas em todo o Brasil. As delegacias de crimes cibernéticos das principais regiões brasileiras também monitoraram ameaças na internet relacionadas a possíveis ataques.

Os dados estão sendo analisados pela equipe do Laboratório de Operações Cibernéticas (Ciberlab) do ministério, que se dedicará exclusivamente a esse trabalho nos próximos dias, em regime de plantão 24 horas. Qualquer cidadão poderá denunciar ameaças ligadas à segurança de escolas e alunos no site do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Escola Segura

Tênis abandonado com marcas de sangue em Aracruz (ES)
Créditos: Reprodução/TV Gazeta (Filiada TV Globo)
Tênis abandonado com marcas de sangue em Aracruz (ES)

A operação Escola Segura conta com a participação de 51 chefes de delegacias de investigação e 89 chefes de agências de inteligência de Segurança Pública (Polícias Civis e Polícia Militar) que trabalham de forma integrada.

A operação vai vigorar por tempo indeterminado, de forma contínua e durante vinte e quatro horas por dia, reunindo centenas de profissionais. As informações foram divulgadas pela Agência Brasil.

Desde o recente caso de ataque ocorrido na última quarta-feira, 5, em escola de Blumenau (SC), em que quatro crianças morreram e pelo menos mais cinco ficaram feridas, o Laboratório de Operações Cibernéticas do MJSP tem apoiado o Grupo de Trabalho Interministerial no levantamento de informações sobre possíveis ameaças às escolas, por meio de monitoramento em redes sociais.

O Ciberlab atua em diversas frentes para combater os crimes virtuais e produz relatórios que são encaminhados às polícias estaduais de todo o país.