Universitários lançam campanha de doação de médula óssea e você precisa assistir este vídeo

Inspirada no termo "Match", do Tinder, campanha uniu cerca de 400 estudantes universitários em ação que incentiva a doação de médula óssea

Por: Redação

O cenário de doação de medula óssea no Brasil, segundo pesquisas do Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), revela que o número de doadores voluntários de medula óssea tem aumentado expressivamente nos últimos anos, agora com mais de 3,9 milhões de inscritos.

A chance de se identificar um doador compatível, no Brasil, na fase preliminar da busca é de até 88% e, ao final do processo, 64% dos pacientes têm um doador compatível confirmado. O Brasil tornou-se o terceiro maior banco de dados do gênero no mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos (quase 7,9 milhões de doadores) e da Alemanha (cerca de 6,2 milhões de doadores).

Pensando nisso e a fim de aumentar ainda mais a conscientização para esta prática tão importante, a ESPM Social desenvolveu uma campanha de conscientização para apresentar de forma lúdica a dificuldade enfrentada por pessoas que necessitam de doação de medula óssea.

A ação faz parte da Campanha Diário de Oportunidades,  que ocorrerá até  dia 2 de junho e gerou grande repercussão nas redes sociais, com mais de 160 compartilhamentos e grande engajamento na causa.

Encontre Seu Par – ESPM Social from TV Pixel ESPM on Vimeo.

Para atrair a atenção dos alunos, a produtora júnior da ESPM – Tevê Pixel – criou um post no Facebook informando sobre a distribuição de senhas com números iguais na entrada da faculdade. Os alunos que receberam as senhas teriam a missão de encontrar o seu respectivo par para que uma surpresa fosse revelada.

A busca por um par foi baseada no conhecido termo Match, do aplicativo Tinder – plataforma de relacionamentos, porém, a mecânica desenvolvida pela ESPM Social foi a de não distribuir senhas iguais. Dessa forma, seria impossível aos participantes encontrar o seu par.

O objetivo da distribuição de senhas sem os respectivos pares foi de gerar angústia e frustração entre os alunos, e simular a situação vivida por um paciente necessitado de medula óssea que não encontra um doador compatível.

Compartilhe: