Os 198 deputados que não abrem mão da aposentadoria especial

Por: Gilberto Dimenstein

Se aprovada, a reforma da Previdência acaba com a aposentadoria especial para deputados federais, senadores, deputados estaduais e vereadores. Haverá uma regra de transição para os parlamentares atuais.

Atualmente os deputados federais e senadores aposentam-se aos 60 anos –idade mínima para homens e mulheres ou com 35 anos de contribuição. Eles recebem 1/35 do salário para cada ano de parlamentar, sem limitação de teto.

Pela proposta, os futuros parlamentares passarão para o INSS, sujeitos à idade mínima de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres e ao teto de R$ 5.839,45.

Os parlamentares atuais, no entanto, passarão por uma regra de transição, sujeitos a pagar um pedágio (trabalhar mais) de 30% do tempo que falta para atingir os 35 anos de contribuição.

Congresso
Crédito: Valter Campanato/Agência BrasilFim da aposentadoria especial para parlamentares está sugerido na proposta de reforma da Previdência

Mas muito parlamentares são contra essa mudança. Reportagem do jornal “Gazeta do Povo” mostra que “198 deputados federais da atual legislatura que não abriram mão deste privilégio.

A lista inclui tanto deputados favoráveis à reforma da Previdência quanto os contrários.

Por ser a maior bancada do Congresso, o PT encabeça a lista dos parlamentares que não abrem mão do privilégio –30 deputados. Em seguida vem o MDB (20), PSD (17), PR (16) e DEM (15).

Confira aqui os nomes dos 198 deputados federais atual legislatura que não abriram mão da aposentadoria especial.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.