Nudez de universitários coloca Governo Bolsonaro no ridículo

Por: Redação
Crédito: © Kevin Low/Bav MediaAlunos num salão nobre de Cambridge

Um grupo de jovens da UNB fez um protesto batizado de “Peladaço”.

Já seria ridículo usar esse fato isolado para julgar as universidades em geral, e a UNB, em particular.

Acontece que esse episódio aconteceu há 5 anos.

Peladaço na UNB há 5 anos

Essa nudez serve como argumento agora, 5  anos depois, para tirar dinheiro da UNB.

Uma das melhores universidades do mundo – Cambridge – promove anualmente uma brincadeira em que os hovens tiram fotos pelados usando os campus como paisagem.

Crédito: © Kevin Low/Bav MediaCambridge

Nem por isso deixou de ser uma das mais disputadas universidades do mundo.

Quando eu estudava em Harvard, havia aulas gratuitas sobre sexo anal para iniciantes.

Nem por isso Harvard deixou de ser Harvard.

Faz parte de todo ambiente acadêmico, especialmente os mais sofisticados, a transgressão – aliás, são ambientes a imensa maioria da família Bolsonaro e seus assessores nunca nem chegou perto.

A começa de seu guru, Olavo de Carvalho, que não tem bem ensino médio, e por muito tempo viveu apenas como astrólogo, depois chefe de seita mística.

O Governo Bolsonaro se coloca no ridículo porque imagina que combater as universidades é combater o “marxismo cultural”- uma espécie de teoria esotérica semelhante aquela que não acredita em aquecimento global ou, quem sabe, no holocausto.

Juntam-se então a “promiscuidade” da nudez com as manifestações políticas.

Crédito: © Kevin Low/Bav Mediaestudantes em Cambridge