Últimas notícias:

Loading...

10 grandes clássicos da literatura para fazer download grátis

Ler é a experiência que mais permite que as pessoas abram a mente e ampliem seus horizontes. Isso deveria ser algo imprescindível na vida de todos e por isso queremos estimulá-lo ao hábito da leitura da melhor maneira possível: sem gastar nenhum centavo!

Separamos 10 clássicos da literatura que com certeza você já ouviu falar, mas ainda pode não ter tido a oportunidade de ler. Todos os links de download são provenientes do site www.dominiopublico.gov.br que possui obras liberadas de copyright.

Confira abaixo os livros com suas sinopses (Fonte: Skoob e Saraiva), seus respectivos links para download e comece a ler agora!

1 – A Divina Comédia – Dante Alighieri

Obra-prima de Dante Alighieri, A Divina Comédia exerceu grande influência em poetas, músicos, pintores, cineastas e outros artistas nos últimos setecentos anos. Dante, o personagem da história, narra, em forma de poema, uma odisseia pelo Inferno, pelo Purgatório e pelo Paraíso, descrevendo cada etapa da viagem com detalhes quase visuais. Nessa viagem é guiado, no Inferno e no Purgatório, pelo poeta Virgílio, e no Céu por Beatriz, musa do autor em várias de suas obras.

2 – Os Lusíadas – Luís Vaz de Camões

Com centro na narrativa da viagem de Vasco da Gama até as Índias, Camões conta nesta epopéia a história do povo português, utilizando-se da estrutura clássica do poema épico. “Os Lusíadas” é, acima de tudo, uma declaração de amor de Camões à sua adorada terra lusitana.

3 – A Metamorfose – Franz Kafka

A Metamorfose é a mais célebre novela de Franz Kafka e uma das mais importantes de toda a história da literatura. O texto coloca o leitor diante de um caixeiro-viajante – o famoso Gregor Samsa – transformado em inseto monstruoso. A partir daí, a história é narrada com um realismo inesperado que associa o inverossímil e o senso de humor ao que é trágico, grotesco e cruel na condição humana – tudo no estilo transparente e perfeito desse mestre inconfundível da ficção universal.

4 – Dom Casmurro – Machado de Assis

Dom Casmurro, um dos romances mais conhecidos do autor, foi publicado pela primeira vez em 1900. Bentinho, Capitu e Escobar são os protagonistas do enigmático triângulo amoroso criado por Machado de Assis e já fazem parte de nosso imaginário. A narrativa se passa na cidade do Rio de Janeiro, no período do Segundo Império, embora saibamos que as questões da obra não se circunscrevem a um tempo ou a um lugar específicos. A dúvida quanto à traição da mulher amada, que perpassa toda a narrativa, se amplifica em questões sobre as incertezas e vicissitudes tão humanas, a imaginação e a fragilidade de nossas convicções.

5 – A Volta ao Mundo em 80 Dias – Julio Verne

Phileas Fogg, um inglês pacato, calmo, metódico e solitário, cumpria todos os dias a mesma rotina. Misterioso, nunca compartilhava sua intimidade com ninguém. Mas tudo mudou quando apostou com alguns sócios do Reform Club metade de sua fortuna, afirmando que daria a volta ao mundo em 80 dias! Era o ano de 1872, e ele e seu novo criado, Passepartout, embarcaram em uma aventura que nenhum dos dois imaginava como seria o seu fim!

6 – Os Sertões – Euclides da Cunha

Considerada uma das obras-primas da literatura brasileira, descreve as batalhas entre os homens liderados por Antonio Conselheiro e o exército brasileiro, de acordo com a visão de Euclides da Cunha. Com seu apurado estilo jornalístico-épico, traça um retrato dos elementos que compõem a guerra de Canudos: a Terra, o Homem e a Guerra. Euclides da Cunha foi o único jornalista que atentou para a valentia dos jagunços.

7 – O Cortiço – Aluísio Azevedo

O Cortiço é um romance publicado em 1890, e é considerada uma obra-prima do Naturalismo no Brasil. Os personagens principais são os moradores de um cortiço no Rio de Janeiro, precursor das favelas, onde moram os excluídos, os humildes, aqueles que não se misturavam com a burguesia, e todos eles possuindo os seus problemas e vícios, decorrentes do meio em que vivem. Aluísio Azevedo fixou-se nas letras com seu traço forte e também por personificar, com grande destaque, a fase naturalista brasileira.

8 – A Moreninha – Joaquim Manoel de Macedo

“A Moreninha” narra a história de amor que nasce entre uma moça de 15 anos e um jovem estudante de medicina. Um amor capaz de sobreviver ao tempo e a todo tipo de vicissitudes, até encontrar sua feliz realização.

9 – Senhora – José de Alencar

“Senhora” tem como protagonista Aurélia Camargo, uma moça bela, inteligente e de muita personalidade que vive uma desilusão amorosa ao ser trocada por uma moça mais rica. Ao receber uma herança, Aurélia decide lutar para recuperar seu amado e acaba conseguindo casar-se com ele. No fim, redimidos, ela do orgulho, ele pela humilhação, o verdadeiro amor vence. No romance, percebemos a condenação do casamento por conveniência e a retratação do Rio de Janeiro do Segundo Império, dando especial atenção ao modo de vida da burguesia e às relações humanas na sociedade da época.

10 – Fausto – Johann Wolfgang von Goethe

A figura do Dr. Fausto, que vendeu a alma ao diabo em troca de saber e prestígio sobrenaturais, deu origem a uma lenda imortalizada na arte ocidental. A partir da lenda faustiana, Goethe trata do conflito de um homem que se dilacera entre a vontade de se elevar espiritualmente e a atração pelos prazeres e bens terrenos. Súmula de razão e emoção, consciência e natureza, a peça é uma das obras-primas da literatura universal. Fausto é uma poema dramático em que Goethe trabalhou desde a juventude; teve a sua primeira parte publicada em 1808, e a Segunda, postumamente.

Compartilhe: