Projeto desenvolve cadeia em que lixo orgânico é transformado em alimento fresco

Decidida a transformar todo o conhecimento adquirido cobrindo temas relacionados à sustentabilidade, a jornalista Fernanda Danelon fundou o Instituto Guandu em 2012 e desde então tem realizado um trabalho inspirador em São Paulo. A empresa com foco social tem um conceito simples: transformar lixo em comida.”Uma revolução possível e que está literalmente nas mãos de quem trabalha com alimentos”, explica.

Para colocar essa ideia em prática, Fernanda fechou parceria com 10 restaurantes da cidade. Eles ficam responsáveis por separar o lixo orgânico e ela por recolher estes resíduos que podem chegar a 500 quilos por dia. Este lixo é então transformado em adubo, que irá parar em hortas urbanas. Elas por sua vez produzem alimentos orgânicos que farão o caminho inverso indo parar na cozinha dos próprios restaurantes.

O instituto assume um papel de ligação entre restaurantes e produtores, parceria que resulta em alimentos mais frescos e saborosos numa cadeia totalmente sustentável.

Fernanda Danelon, fundadora do Instituto Guandu
Fernanda Danelon, fundadora do Instituto Guandu