10 dicas indispensáveis de como estudar para o vestibular

Existem várias formas de garantir o sucesso: descubra algumas delas

Por: SEB (Sistema Educacional Brasileiro) | Comunicar erro
Crédito: Getty ImagesOrganize um cronograma: na segunda-feira, matemática; na terça, geografia; quarta, história e assim por diante

Praticar a escrita, acompanhar as notícias, manter um cronograma de estudos… Afinal, como estudar para um vestibular? Qual é a melhor estratégia para gabaritar as provas mais concorridas?

Existem várias formas de garantir o sucesso, já que cada estudante armazena informações de maneira diferente. Contudo, é possível obter melhores resultados com algumas práticas e posturas específicas.

Quer saber quais são elas? Então, leia este post!

  • Reconheça as suas habilidades mais fortes

Você já parou para pensar que ninguém nos ensina a aprender e a estudar? Aprendemos na escola o que estudar, mas raramente somos instruídos quanto à prática do estudo em si.

Ao contrário do que muitos pensam, estudar é uma estratégia que precisa ser elaborada e praticada, assim como a escrita e a resolução de equações. Para isso, a 1ª coisa que você deve fazer é reconhecer quais são suas maiores habilidades.

Em outras palavras, é reconhecer como você consegue absorver os conteúdos mais facilmente:

Você é uma pessoa que gosta de ouvir áudios ou assistir a vídeos?

Memoriza informações rapidamente ou só consegue fazer isso escrevendo o que é mais importante?

Em qual horário do dia é mais fácil se concentrar?

Tem tolerância ao barulho ou necessita ficar isolado, em silêncio total?

Essas são algumas perguntas que você deve responder para identificar o seu perfil de estudante. A partir da identificação dessas características pessoais, fica muito mais fácil definir qual será a sua estratégia e, enfim, encontrar a melhor maneira de estudar para o vestibular.

Além disso, é preciso encarar o inimigo de frente. Em quais matérias você tem mais dificuldade? E quais delas você tira de letra? Ter isso em mente é importante para definir, por exemplo, quanto tempo você dedicará a cada disciplina e como vai estudar os pontos principais.

  • Crie um cronograma de estudos realista

Caso você estude ou faça cursinho no período da manhã, é importante se organizar e elaborar um cronograma realista para as horas da tarde e da noite. Programe picos de estudo com intervalos para lanches, alongamento e descansos.

Por exemplo: reserve 45 minutos para Física, faça um intervalo de 15 minutos e volte a estudar Matemática por mais 45 minutos. Você pode construir uma planilha e atualizá-la toda semana, de acordo com as aulas que tiver.

No entanto, lembre-se de que o estudo diário é fundamental. Por mais que a sua agenda seja cheia, é preciso reservar um horário para se dedicar inteiramente ao estudo, nem que seja para revisar conteúdos ou fazer algum trabalho da escola.

Talvez o mais difícil seja driblar o cansaço e a vontade de fazer atividades de lazer. Por isso, o controle do tempo é fundamental. Também não se sufoque com estudos. Descansar a mente ajuda a renovar as energias para absorver melhor tudo que necessita.

  • Construa mapas mentais

Escolha um dia do seu fim de semana para solidificar o que foi visto. Como fazer isso? Com a ajuda de mapas mentais. Eles são esquemas visuais que ajudam o cérebro a solidificar informações, especialmente quando elas possuem uma relação lógica.

Uma ótima maneira de estudar disciplinas mais teóricas, como História e Literatura. Pesquise modelos na web e, quando for fazer o seu, tente não consultar o conteúdo. Escolha um tema específico e resgate tudo o que sabe sobre ele para, então, ordenar as suas ideias no papel.

Para construir um mapa mental, você deve levar em consideração 5 elementos essenciais. São eles:

ideia central: é o tema do seu mapa (por exemplo: Revolução Francesa).

Posicione-o no centro da folha, de preferência na horizontal, para ter mais espaço livre;  ramificações: a partir da ideia central, desenhe ramificações com as ideias secundárias.

Imagine uma espécie de árvore cujos galhos são as conexões entre o tema e as ideias; imagens e palavras-chave: use imagens e palavras-chave que representem essas conexões a fim de sintetizar o conteúdo e ajudar na memorização; cores: as cores ajudam o cérebro a ter mais foco em cada informação.

Destaque com tons diferentes as informações mais importantes; atualização: se for necessário, volte ao mapa mais tarde para acrescentar novas ideias.

  •  Faça anotações e tire as suas dúvidas

Outra vantagem de revisar a matéria logo após a aula é que você verá exatamente quais são as suas dificuldades e poderá tirar as suas dúvidas com o professor na próxima oportunidade.

Existem algumas formas de registrar as dúvidas sobre o conteúdo. Duas maneiras eficazes são:

se você usa livros em papel ou materiais digitais, realce com marca-texto ou crie campos com mensagens destacando as suas dúvidas (para não rabiscar os livros físicos, você pode usar post-its, que são aqueles bloquinhos de papel coloridos autoadesivos);
faça uma lista com as principais dúvidas ou perguntas que gostaria de fazer sobre cada assunto.

  • Estude o conteúdo no mesmo dia

Você se lembra de que sugerimos conciliar as aulas com o seu cronograma de estudo semanal? Pois então.

Se na segunda-feira você teve aula de Inglês, Química e Atualidades, por exemplo, estude essas mesmas matérias ao chegar em casa. Faça disso um hábito, pois assim você estará fixando o conteúdo visto e identificando as suas dúvidas.

Mas atenção! Se você não respeitar seu próprio cronograma de estudos e deixar tudo para um dia só, a tendência de procrastinar é alta, e você ainda vai acumular dúvidas.

  •  Treine com simulados e provas antigas

Resolver simulados e provas anteriores trará 2 grandes vantagens: o entendimento da lógica da prova e a gestão do tempo de resolução.

Para começar, os exames são preparados pelas mesmas bancas, ano após ano. Descubra qual é a banca responsável pela sua prova e você verá que, apesar da variação nos temas, o formato das questões permanece.

Além do conhecimento, os vestibulares também são uma questão de prática. Se você estiver familiarizado com as provas, as chances de você aumentar o seu desempenho são bem maiores.

Por isso, treine como se fosse o dia oficial. Veja qual é o tempo total do exame e divida pelo número de questões da prova. Com isso, você saberá o tempo máximo por questão e treinará a sua agilidade.

Gostou da sugestões ? Confira outras dicas sobre o assunto no Blog Novos Alunos.

Compartilhe:

1 / 8
1
34s
Use “anexo” corretamente
Na hora de enviar um e-mail corporativo, você sabe como escrevê-lo corretamente?
2
34s
Senão ou se não?
Aprenda quando usar o "senão" ou "se não".
3
33s
Presente do Subjuntivo
Aprenda a usar corretamente o Presente do Subjuntivo.
4
30s
Onde ou Aonde?
Responda rápido: "Onde você quer ir jantar?" ou "Aonde você quer ir jantar?". Qual a resposta correta.
5
02:13
O estilista que ensina de crochê em penitenciária masculina
O projeto Ponto Firme, criado pelo estilista Gustavo Silvestre, tem como objetivo transformar a vida de detentos de uma penitenciária …
6
01:47
Como se apaixonar por Bach – Lição 10
Curso "Como se apaixonar por Bach", com o maestro e pianista João Carlos Martins.
7
01:48
Como se apaixonar por Bach – Lição 9
Curso "Como se apaixonar por Bach", com o maestro e pianista João Carlos Martins.
8
01:30
Como se apaixonar por Bach – Lição 8
Curso "Como se apaixonar por Bach", com o maestro e pianista João Carlos Martins.