CORONAVÍRUS
Tudo o que você precisa saberÚltimas notícias e tudo que você precisa saber

Facebook oferece cursos gratuitos de programação em SP

Em dois anos, centro de apoio à inovação do Facebook, Estação Hack, já ofereceu treinamento para mais de 26 mil brasileiros e acelerou 40 startups

Por: Redação

A Estação Hack, centro do Facebook para apoio à inovação no Brasil, abriu inscrições para os cursos, palestras e workshops gratuitos de programação, desenvolvimento de aplicativos e preparação para o mercado de trabalho. Serão dezenas de milhares de vagas distribuídas entre cursos presenciais e online ao longo de 2020.

A escola, que fica em São Paulo, pretende capacitar cerca de 50 mil jovens brasileiros este ano. O número é quase o dobro do acumulado dos primeiros dois anos do centro, que já capacitou 26 mil pessoas desde 2018 e acelerou 40 startups de impacto social.

Os programas são desenvolvidos em parceria com as instituições Artemisia, Cel.Lep, Digital House, Garimpo de Soluções, Junior Achievement e Reprograma. O público-alvo e a carga horária variam de acordo com o treinamento. Será dada preferência para alunos matriculados ou egressos da rede pública de ensino.

Crédito: Marco TorelliEstação Hack, centro de educação e inovação do Facebook

“Aprendemos muito nos últimos dois anos. Vimos a tecnologia transformar as vidas dos jovens que passaram pela Estação Hack. Mas também percebemos que, mesmo com as salas das aula de programação sempre cheias, não conseguíamos alcançar todos os jovens que queriam receber esse treinamento. É por isso que neste ano estamos levando oportunidade para mais pessoas e para outras regiões do país com cursos presenciais e online”, explica Eduardo Lopes, diretor da Estação Hack.

Segundo ele, são estimadas 420 mil vagas de emprego para essas posições até 2024, então a expectativa é que a iniciativa “colabore para a empregabilidade do jovem brasileiro”.

Neste ano serão lançados também dois programas voltados para capacitação de professores da rede pública de ensino, que receberão treinamento nas áreas de programação, futuro do trabalho e inovação. A ideia é que atuem como multiplicadores desse conhecimento nas salas de aula, e para isso terão acesso a mentoria e recursos como uma plataforma online.

Já o programa itinerante Estação Hack na Estrada oferecerá cursos de programação online e aulas presenciais em seis diferentes cidades; Campinas (SP), Vitória (ES), Brasília (DF), Porto Alegre (RS), São Luís (MA) e Natal (RN). Alunos terão acesso aos conceitos principais de programação, dos códigos básicos de HTML e CSS a Javascript.

Programa do Facebook de apoio a startups

O programa Estação Hack na Estrada levará também workshops e mentoria a startups de impacto social em cada uma dessas seis cidades. O esforço pretende movimentar o ecossistema regional, oferecendo para empreendedores locais apoio que inclui mentoria individual, suporte para modelagem do pitch de negócios e feedback com especialistas. Poderão participar startups de diferentes fases, desde aquelas em estágio inicial até às mais avançadas, que enfrentam desafios de crescimento, vendas e investimento.

Já no centro da Estação Hack em São Paulo, será oferecida uma residência anual gratuita para até 15 startups de impacto social. Os empreendedores terão acesso ainda a palestras e conteúdos exclusivos desenvolvidos pela a Artemisia, organização sem fins lucrativos pioneira na disseminação e no fomento de negócios de impacto social no Brasil.

Confira abaixo os programas disponíveis:

PROGRAMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVOS

Android Studio – Kotlin: o curso ministrado pelo Cel.Lep Tech é uma introdução à programação e ao desenvolvimento de aplicativos para equipamentos móveis. O curso ensina os preceitos básicos e, por isso, é voltado para quem ainda não teve contato com o assunto. Carga horária: 32 horas (8 semanas). Público-alvo: alunos de 16 a 25 anos. Informações e inscrições neste link.

Estação Hack para Educadores: a Digital House Schools e o Facebook criaram uma jornada para capacitação de educadores e pretende impactar a vida de jovens que aprenderão a criar tecnologia, desenvolvendo pensamento lógico em cursos de programação. Serão contemplados educadores que irão replicar seus conhecimentos ensinando Programação para jovens de Educação Básica. O curso tem como objetivo Integrar professores e alunos no mundo da programação, com aulas de HTML e CSS. Carga horária: 24 horas (2 semanas). Público-alvo: professores da rede pública de ensino. Informações e inscrições neste link.

Crédito: Marco TorelliEspaço oferece cursos e os workshops

Front-end Coding Course: o curso da Digital House tem como objetivo formar novos profissionais de programação Front-End. O programa foi desenvolvido para quem quer aprender a programar do zero e adquirir habilidades em React (CSS, HTML e JavaScript), além de soft skills em Git e Metodologias Ágeis. Carga horária: 105 horas (5 semanas). Público-alvo: alunos de 16 a 25 anos. Informações e inscrições neste link.

Programação Front-End para Mulheres: aprenda linguagens de programação front-end e ferramentas de capacitação que irão ajudar você a construir uma base sólida na área de tecnologia. Carga horária: 672 horas (18 semanas). Público-alvo: mulheres cis e trans. Informações e inscrições aqui.

UI/UX Basics – Experience, Interface & Prototype: o curso ministrado pelo Cel.Lep Tech oferece instruções básicas sobre design de aplicativos e como eles são experimentados pelos seus usuários, incluindo noções de criação de protótipo. Carga horária: 32 horas (8 semanas). Público-alvo: alunos de 16 a 25 anos. Informações e inscrições neste link.

INOVAÇÃO E EMPREGABILIDADE

Conectado Com o Amanhã: o programa da Jr. Achievement possibilita aos alunos um momento de reflexão sobre seu futuro e preparação para o mercado de trabalho, oferecendo perspectivas de carreiras e informações sobre quais são as competências comportamentais desejadas no mercado de trabalho. Carga horária: 5 horas. Público-alvo: alunos matriculados no Ensino Médio. Informações e inscrições neste link.

Futuro do Trabalho: o programa apresenta aos alunos as transformações no mercado de trabalho, bem como as ferramentas e habilidades exigidas para obter e manter uma profissão em setores com carreiras de alto crescimento, com ênfase em CTEM (Ciência, Tecnologia, Engenharias e Matemática). Carga horária: 5 horas. Público-alvo: alunos matriculados no Ensino Médio. Informações e inscrições neste link.

Innovation Camp: o objetivo deste programa da Jr. Achievement é desenvolver habilidades empreendedoras e mostrar ferramentas de trabalho, que possibilitem aos estudantes encontrarem soluções inovadoras para um desafio proposto. Durante o processo, os alunos contam com a ajuda de mentores que vão auxiliá-los durante o desenvolvimento da ideia. Carga horária: 8 horas. Público-alvo: alunos matriculados no Ensino Médio. Informações e inscrições neste link.

Hackeando Futuros: 10 encontros temáticos mensais com profissionais de referência, gestores públicos e fundadores de startups de diversos setores, para inspirar e provocar empreendedores a redesenhar contextos e ampliar entendimentos de futuro, com a curadoria da Garimpo de Soluções. Carga horária: 2 horas (cada encontro). Público-alvo: empreendedores, investidores, mentores, curiosos e apaixonados por quem muda o mundo. Para mais informações e inscrições clique aqui.

ESTAÇÃO HACK NA ESTRADA – EVENTOS FORA DE SP

Introdução a programação: workshops dinâmicos em que os participantes terão uma imersão no mundo de programação com o objetivo de inspirá-los a seguir rumo a uma carreira no mercado de tecnologia. Carga horária: 8 horas (1 dia inteiro). Público-alvo: alunos de 16 a 25 anos. Informações e inscrições neste link.

Empreendedorismo de impacto social: palestras e painéis para empreendedores e interessados em negócios de impacto social, bem como mentorias, workshops e competição de pitches para startups de impacto social. Informações e inscrições neste link.

Dois anos de Estação Hack

Desde o início das atividades, em 2018, mais de 26 mil pessoas já foram beneficiadas com os treinamentos oferecidos pelo Facebook, sendo 12 mil pessoas capacitadas no primeiro ano e 14 mil no segundo.

Do total de alunos nos cursos de programação e inovação, cerca de 80% eram alunos atuais ou egressos do sistema público de ensino, e 35% eram mulheres. Como parte do esforço para aumentar a representatividade de mulheres nesta área, o Facebook trouxe para a Estação Hack a Reprograma, que oferece cursos de programação exclusivos para mulheres (cis e trans).

Ex-aluna de um destes cursos, Ingrid Pitta veio de Fortaleza para com o objetivo de migrar para a área de tecnologia. “Além de programar, fomos preparadas com informações sobre o mercado e como lidar com as dificuldades. Em dez dias eu já consegui um emprego na área,” conta.

1
9 passos para escrever um roteiro impecável
Escrever roteiro de um filme pode ser uma tarefa desafiadora: exige criatividade, dedicação e persistência para que ideias maturem.Roteiristas profissionais …
2
Crise na Educação: o Enem, o Sisu e a demissão inesperada no Sesu
Crise na Educação: o Enem, o Sisu e a demissão inesperada no SesuAs últimas semanas foram carregadas de incertezas e …
3
Enem: após confusão, MEC corrige notas e libera inscrição no Sisu
O ministro da Educação,  Abraham Weintraub, publicou um vídeo em sua conta no Twitter com novas explicações para as inconsistências …
4
Baixa na Educação: MEC decide tirar TV Escola do ar
O Ministério da Educação (MEC) decidiu não renovar o contrato com a TV Escola, canal educativo com 25 anos de …
5
48:28
ENEM! Aulão de história na Catraca
Em ritmo de Enem, a Catraca Live, em parceria com a SAS plataforma de Educação, realizou uma série de Lives …
6
59:42
ENEM! Aulão de português na Catraca
Em ritmo de Enem, a Catraca Live, em parceria com a SAS plataforma de Educação, realizou uma série de Lives …
7
47:47
ENEM! Aulão de matemática na Catraca
Em ritmo de Enem, a Catraca Live, em parceria com a SAS plataforma de Educação, realizou uma série de Lives …
8
04:21
Weintraub usa o MEC para tentar tirar verbete da Wikipédia do ar
Uma matéria publicada pelo jornal Folha de S. Paulo mostra que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, usou o peso …