Vem ver como ir bem nas provas de inglês e espanhol do Enem

Uma leitura minuciosa e atenta é essencial nas provas de ambos os idiomas

Por: SEB (Sistema Educacional Brasileiro)

O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), que terá nova data decidida por votação, reserva na prova de linguagens questões que envolvem a língua inglesa ou espanhola (depende do que você escolheu na hora da inscrição). O blog Novos Alunos, do SEB (Sistema Educacional Brasileiro) mostra dicas de como mandar bem nas perguntas.

Os enunciados e as alternativas de respostas são redigidos em português, além de que as questões baseiam-se quase que exclusivamente em interpretação. Então, uma leitura minuciosa e atenta é essencial nas provas de ambos os idiomas.

Às vezes, por puro nervosismo, as pessoas acabam tendo dificuldades em captar as ideias centrais dos textos apresentados na prova e deixando passar batido informações relevantes. Fique ligado nos termos em negrito ou itálico e nas primeiras palavras de cada parágrafo. São excelentes indicativos de qual é a linha de raciocínio principal do texto.

  • ESPANHOL

Ao contrário do que muita gente pensa, não é pelo fato de ter muitas semelhanças com o português que o espanhol chega a ser um idioma mais fácil de aprender do que o inglês. Aí que mora o perigo! Veja alguns exemplos de “pegadinhas”:

Uso correto de “lo” e “el”

Como o artigo definido feminino em espanhol é “la”, não é raro que muita gente pense que o seu equivalente masculino seja “lo”. O artigo definido masculino em espanhol é “el”.

Heterossemânticos

São as palavras que mais geram confusão e erros durante a prova de espanhol. Por exemplo: “Oficina”, “pelado” e “vaso” aparentemente têm significado óbvio, mas saiba  em espanhol elas querem dizer “escritório”, “careca” e “copo”, respectivamente.

  • INGLÊS

Os falsos cognatos são como os heterossemânticos do espanhol: tudo indica que significam uma coisa, mas na realidade querem dizer outra completamente diferente. A palavra “realize” (que quer dizer “perceber”, e não “realizar”) e “policy” (que significa “política” e não “polícia”) são alguns exemplos de falsos cognatos na língua inglesa.

Confira o artigo completo no blog Novos Alunos e bons estudos!