12 vezes em que Grey’s Anatomy foi uma série empoderadora

Texto escrito por Karla Lopes e publicado no Superela.

Por: Superela

*ATENÇÃO, PODE CONTER SPOILERS*

Grey’s Anatomy, que completa 12 anos desde a sua estreia, pode parecer só mais uma série que mostra a rotina de médicos em um hospital. Mas por estar há mais de uma década no ar, você pode perceber que a história vai muito além disso. Criada por Shonda Rhimes (de Scandal e também How To Ge Away With Murder), Grey’s, a cada episódio, dá várias lições de vida e empoderamento. Com personagens fortes, Shonda colocou negros na liderança, mulheres que não abaixam a cabeça para ninguém e se impõem como pessoas e profissionais, representatividade LGBT e casos que fazem a gente parar e pensar de verdade na vida.

12 vezes em que Grey’s Anatomy foi uma série empoderadora

1. Quando Cristina jogou a real sobre elogiarem sua beleza

Cristina Yang é, com certeza, a melhor personagem dessa série. Falou em empoderamento feminino em Grey’s Anatomy e só ela me vêm à cabeça. Forte, determinada, dona de si e da sua carreira, ela nos deu várias lições sobre como conduzir a própria vida e ser respeitada pelos seus feitos. Nunca vou me esquecer de quando ela disse para seu namorado na época, Owen, que queria ser elogiada pela sua inteligência, não pela aparência. Todas nós queremos, sim, ser bonitas, mas porque essa é a única característica que parece importar?

Foda-se a beleza, eu sou brilhante. Se quer me agradar, elogie meu cérebro!

2. Ou quando lembrou Meredith do seu valor

Lembram também quando Cristina lembrou Meredith que ela não deveria deixar Derek, seu marido, apagar o talento dela? Quantas vezes namoramos caras que acham que são sol e que o mundo gira em torno do umbigo deles, anulando nossos feitos ou nossos sonhos? Pois é, muitas! Citando a própria Dra. Yang, ele não é o sol, você é!

Não deixe as vontades dele anular suas necessidades. Ele é um sonho, mas ele não é o sol, você é!

3. E a Izzie que calou a boca de um bando de machistas?

Acho muito importante citar também quando Izzie Stevens foi ridicularizada por Alex Karev ao descobrirem que ela fez trabalhos como modelo de lingerie para conseguir pagar a faculdade. Ele, um embuste na época, tirou cópia das imagens e colou em todos os armários do alojamento dos internos. Izzie foi julgada pelo seu corpo e teve seu talento questionado por ser bonita. O que ela fez? Além de dar um torra em Alex, provou que sua inteligência não tem nada a ver com aparência!

12 vezes em que Grey's Anatomy foi uma série empoderadora 3

4. Tem também quando Bailey falou sobre igualdade salarial

Miranda Bailey também é uma das minhas favoritas por colocar empoderamento em cada passo que dá dentro daquele hospital. Lembram quando ela fez Meredith exigir por um salário maior? Nós, mulheres, sofremos muito com a Síndrome do Impostor (explicamos aqui o que é) e sempre achamos que não merecemos o reconhecimento devido pelo nosso trabalho. Porém, merecemos SIM – e isso é algo que Bailey sempre bate na tecla!

12 vezes em que Grey's Anatomy foi uma série empoderadora 4

Continue lendo aqui: 12 vezes em que Grey’s Anatomy foi uma série empoderadora

Compartilhe: