Últimas notícias:

Loading...

Adnet cobrou sobre investigação da acusação de assédio na Globo

A carta foi enviada à direção da Globo no mesmo dia que ele deu entrevista ao programa Roda Vida, na TV Cultura, em agosto

Por: Redação
Ouça este conteúdo

Marcelo Adnet, ex-marido de Dani Calabresa e um dos principais humoristas da Globo, cobrou da empresa o prosseguimento da investigação sobre a acusação de assédio sofrido pela comediante vindo de Marcius Melhem exatamente no dia em que foi entrevistado no programa Roda Viva, da TV Cultura.

Adnet cobrou sobre investigação da acusação de assédio na Globo
Crédito: DivulgaçãoAdnet cobrou sobre investigação da acusação de assédio na Globo

Segundo a reportagem publicada pela revista Piauí, o núcleo humorístico da Globo escreveu uma carta coletiva direcionada a Carlos Henrique Schroder, o então diretor-executivo de Criação e Produção de Conteúdo e diretor de Entretenimento.

Nela, os funcionários cobravam uma postura mais firme da direção em relação respeito as denúncias de assédio realizadas por Calabresa e outras mulheres da casa. Enviado pela conta de Marcelo Adnet, o e-mail chegou no destinatário no mesmo dia em que ele concedeu entrevista ao Roda Viva, no dia 17 de agosto.

Adnet deu respostas superficiais quando foi perguntado sobre o caso durante a conversa na TV Cultura. De acordo com a matéria da revista Piauí, ele teria sido orientado no que falar caso fosse questionado sobre o assunto.

“Eu acho uma coisa inadmissível. Eu fui abusado duas vezes e sei como as vítimas sofrem. Portanto, não tenho poder de polícia, porque minha opinião é da dúvida. Quando nos apressamos em dar uma opinião, condenatória ou não, estamos sendo levianos”, declarou o comediante na época.

“Adnet estava solidário com sua ex-mulher e participava do grupo que cobrava medidas mais firmes da Globo. Horas antes de o Roda Viva ir ao ar, no entanto, ele teve uma reunião com advogados da emissora e recebeu orientação sobre o que dizer caso o tema viesse à tona”, diz a reportagem.

Depois da entrevista, Adnet foi chamado de “esquerdomacho” e severamente criticado nas redes sociais por supostamente se omitir em falar abertamente sobre o caso, mesmo demonstrando apoio às mulheres que denunciaram o ex-diretor do Humor da Globo.

“Há que se entender o seguinte. Não posso sair falando o que as vítimas me contaram em segredo. Devo a elas a discrição que me pediram, para que elas não sejam expostas”, completou o criador do Sinta-se em Casa, humorístico que fez sucesso no Globoplay e na Globo durante a pandemia da Covid-19.

Como denunciar caso de assédio sexual

  • Peça ajuda a quem estiver por perto e acione policiais que estiverem no local. Depois, registre um boletim de ocorrência na delegacia mais próxima. Casos assim não podem ser registrados por boletim de ocorrência online;
  • Guarde todas as informações que conseguir referentes ao assédio: anote o dia, horário e local, nome e contato de testemunhas, características do agressor, tire fotos, filme etc. Verifique também se há câmeras no local do crime, pois, a partir disso, as imagens poderão ser solicitadas. Quando fizer o boletim de ocorrência ou qualquer outro tipo de denúncia, é importante levar o maior número de provas do ocorrido. Isso inclui vídeos e fotos no celular, testemunhas, conversas em redes sociais, entre outras. As autoridades policiais precisam de material para conduzir a investigação e a depender do caso, repassar para o Ministério Público. Muitos casos não seguem por falta de provas ou falta de indícios de quem é o autor;
  • Infelizmente, é comum o uso de drogas como “Boa Noite Cinderela” e outras para que a vítima fique sonolenta e mais suscetível ao estupro. Caso o abuso tenha ocorrido através desta prática, é importante que a vítima faça o Exame Toxicológico (através de exame de sangue e urina) em no máximo 5 dias após a ingestão. O ideal é realizar o exame o quanto antes possível;
  • Você pode fazer uma denúncia pelos telefones da Polícia Militar (190) e do Disque 180;
  • É importante ressaltar que a autoridade policial não pode se recusar a registrar a ocorrência. Infelizmente, há casos em que a autoridade policial tenta dissuadir a vítima de fazer o boletim. Caso isso aconteça, registre uma reclamação na ouvidoria do órgão em que ocorreu a recusa. Sendo ineficaz, procure o Ministério Público local para denunciar a recusa e o crime.