Últimas notícias:

Loading...

Marcius Melhem teria assediado Dani Calabresa em festa do ‘Zorra’

Relatos revelam que a saída da atriz do núcleo humorístico foi pelo assédio sofrido do ex-diretor e que teria começado a tomar remédios para ansiedade

Por: Redação
Ouça este conteúdo

Após diversas denúncias de assédio sexual e moral, o ator Marcius Melhem foi demitido da TV Globo em agosto deste ano. Famosos se pronunciaram sobre o caso, incluindo, Dani Calabresa, que por sua vez, foi um das primeiras celebridades a denunciar o ex-diretor do núcleo humorístico da emissora.

Marcius Melhem teria assediado Dani Calabresa em festa do Zorra
Marcius Melhem teria assediado Dani Calabresa em festa do Zorra

De acordo com a reportagem publicada pala revista Piauí, a primeira vez que Marcius Melhem assediou Dani Calabresa foi em 2017. O ato aconteceu durante uma festa de comemoração do centésimo episódio do programa “Zorra”. No primeiro momento da noite, os dois subiram para cantar no Karaokê e essa teria sido a primeira investida de Melhem à Calabresa, que tentou beijá-la.

Saindo rapidamente do palco para o banheiro, ela encontrou Melhem no local de novo. Neste momento, ele teria tentado prender a atriz na parede, tentando beijá-la. Ao que tudo indica, ele também lambeu o rosto da comediante à força, além de colocar o pênis para fora. Assim que Dani Calabresa voltou à mesa, foi consolada pelos amigos George Sauna e Luís Miranda, sendo que este último artista foi quem ouviu o relato da violência sofrida por ela.

Três dias depois do suposto assédio no local, Marcius Melhem deus as caras na Globo. Por ser diretor do “Zorra”, ele geralmente não ia para as gravações, trabalhava com roteiristas em um outro ambiente. No dia, ele foi até onde Dani estava ensaiando com Maria Clara Gueiros e segundo testemunhas, disse: “Eu não tenho culpa do que aconteceu! Quem mandou você estar muito gostosa?”. Em seguida, ele teria tentado abraçar ela, que mostrou resistência saindo da mesa.

Não quero seu abraço nem suas desculpas, você já me agarrou, lambeu minha cara e encostou o pau em mim“,  teria respondido Dani Calabresa.

Ainda depois deste dia, a situação para Dani Calabresa em relação a Melhem só se estreitava. Em outro momento, ele teria tentado entrar no seu camarim, um pouco antes dela entrar em cena de maiô. Além disso, ela também teria sofrido assédio em seus cruzamentos pelos bastidores, como apertar a cintura dela ou falar coisas como “gostosa”, “sonhei com você outra vez, hein”.

Dani Calabresa pediu demissão do “Zorra” em 2019 alegando que estava saindo da equipe por decepções profissionais com o núcleo que trabalhava, o de humor. Segundo os amigos entrevistado pela revista Piauí, nessa mesma época, a atriz estava tomando remédios para controlar a ansiedade e fica em pânico toda vez que tinha que ir para a Globo por medo de encontrar Marcius Melhem.

Como denunciar caso de assédio sexual

  • Peça ajuda a quem estiver por perto e acione policiais que estiverem no local. Depois, registre um boletim de ocorrência na delegacia mais próxima. Casos assim não podem ser registrados por boletim de ocorrência online;
  • Guarde todas as informações que conseguir referentes ao assédio: anote o dia, horário e local, nome e contato de testemunhas, características do agressor, tire fotos, filme etc. Verifique também se há câmeras no local do crime, pois, a partir disso, as imagens poderão ser solicitadas. Quando fizer o boletim de ocorrência ou qualquer outro tipo de denúncia, é importante levar o maior número de provas do ocorrido. Isso inclui vídeos e fotos no celular, testemunhas, conversas em redes sociais, entre outras. As autoridades policiais precisam de material para conduzir a investigação e a depender do caso, repassar para o Ministério Público. Muitos casos não seguem por falta de provas ou falta de indícios de quem é o autor;
  • Infelizmente, é comum o uso de drogas como “Boa Noite Cinderela” e outras para que a vítima fique sonolenta e mais suscetível ao estupro. Caso o abuso tenha ocorrido através desta prática, é importante que a vítima faça o Exame Toxicológico (através de exame de sangue e urina) em no máximo 5 dias após a ingestão. O ideal é realizar o exame o quanto antes possível;
  • Você pode fazer uma denúncia pelos telefones da Polícia Militar (190) e do Disque 180;
  • É importante ressaltar que a autoridade policial não pode se recusar a registrar a ocorrência. Infelizmente, há casos em que a autoridade policial tenta dissuadir a vítima de fazer o boletim. Caso isso aconteça, registre uma reclamação na ouvidoria do órgão em que ocorreu a recusa. Sendo ineficaz, procure o Ministério Público local para denunciar a recusa e o crime.