Marta é o termo mais citado em partidas da seleção feminina

É o que aponta um levantamento realizado pela Stilingue, em parceria com a Vert Intelig e o Dibradoras

Por: Redação

A jogadora Marta é a grande protagonista quando o tema é Copa Feminina nas conversas das redes sociais. É o que aponta um levantamento do Observatório da Copa do Mundo Feminina, realizado pela Stilingue, líder nacional de Inteligência Artificial para o idioma Português, em parceria com a Vert Inteligência Digital e o portal Dibradoras.

Crédito: Reprodução/Instagram/@martavsilva10Marta, que ganhou por seis vezes o título de melhor jogadora de futebol do mundo

A estreia da alagoana no Mundial, o gol e a comemoração com a divulgação da campanha #GoEqual, que pede igualdade de gênero no esporte, dominaram as conversas. A segunda jogadora mais citada foi a goleira Bárbara, seguida por Cristiane e Formiga.

Em um recorte de gênero, homens falaram mais de Bárbara e Cristiane do que as mulheres. Para eles, o Top 3 menções foi Marta (48%), Cristiane (24%) e a goleira Bárbara (12%). Já para as usuárias mulheres, proporcionalmente Marta foi mais mencionada que pelos homens (56%). O Top 3 é completado por Cristiane (16%) e Formiga (15%).

Quanto ao técnico Vadão, recebeu mais ataques ao papel e responsabilidade do treinador do que ataques ao elenco e ao desempenho da seleção.

No total, Marta apareceu em 1.050 conversas, sendo o principal nome comentado sobre o jogo. Na sequência, vieram Bárbara (493), Cristiane (204) e Formiga (157). Até o técnico Vadão aparece em 292 ocorrências e a árbitra húngara Katalin teve 126 menções.

A hashtag mais relevante foi #GuerreirasDoBrasil. Nessas conversas se encontram os principais comentários de torcedores do Brasil sobre a Seleção e também indica o uso de outra hashtag, a #JogaBola. Ambas foram criadas e
difundidas pela CBF.

Outra curiosidade diz respeito às conversas que buscavam informações sobre a transmissão da partida e o pedido de links para acompanhá-la, o que mostra um interesse na Copa Feminina.

“Quando soubemos do projeto do Observatório da Copa do Mundo Feminina, achamos de suma importância fazer parte disso e compartilhar com o nosso público o resultado desse mapeamento”, afirmou Roberta Nina, cofundadora do Dibradoras. “A modalidade ainda é muito carente de informação e revelar que as pessoas têm engajamento e interesse pelo jogo delas foi muito importante. O resultado tem sido superpositivo, e as pessoas estão adorando ter acesso a esses dados”, emendou.

O monitoramento foi feito apenas com conversas do jogo Brasil x Austrália em 13 de junho, abordando um universo de buscas em postagens públicas de portais; blogs; páginas do Facebook; Youtube e Twitter.