Últimas notícias:

Loading...

Pai de Klara Castanho desabafa sobre estupro e gravidez da filha

"Estarei com vocês até o fim da minha vida!”, escreveu o pai da atriz

Por: Redação

Cláudio Castanho, pai de Klara Castanho, fez uma postagem no Instagram em apoio à filha. A atriz foi exposta e revelou, em carta aberta publicada no último sábado, 25, ter engravidado após um estupro e colocado a criança para adoção.

klara-Claudio-castanho
Crédito: Reprodução/InstagramPai de Klara Castanho desabafa sobre estupro e gravidez da filha

“Estarei com vocês até o fim da minha vida!”, dizia a legenda em uma foto antiga em que Cláudio aparece junto com a filha e o filho caçula, Lucas Castanho.

Klara resolveu contar a história em seu perfil no Instagram depois de o seu nome ficar entre os assuntos mais comentados nas redes sociais.

“Esse é o relato mais difícil da minha vida. Pensei que levaria essa dor e esse peso somente comigo. No entanto, não posso silenciar ao ver pessoas conspirando e criando versões sobre uma violência repulsiva e de um trauma que eu sofri. Eu fui estuprada”, disse a atriz.

Cláudio Castanho, pai de Klara Castanho, fez uma postagem em apoio à filha.
Crédito: Reprodução/InstagramCláudio Castanho, pai de Klara Castanho, fez uma postagem em apoio à filha

Ainda segundo o relato, ela demorou a perceber mudanças físicas ou hormonais típicas da gravidez e, ao buscar ajuda, o médico teria desencorajado o aborto.

“O médico não teve nenhuma empatia por mim. Eu não era uma mulher grávida que estava grávida por vontade e desejo, eu tinha sofrido uma violência. E mesmo assim esse profissional me obrigou a ouvir o coração da criança, disse que 50% do DNA eram meus e que eu seria obrigada a amá-lo”.

Como agir em caso de estupro

Se você for vítima de estupro ou estiver auxiliando uma pessoa que tenha sido estuprada, os passos a serem seguidos são um pouco diferentes das dicas gerais fornecidas anteriormente.

É importante lembrar que o crime de estupro é qualquer conduta, com emprego de violência ou grave ameaça, que atente contra a dignidade e a liberdade sexual de alguém. O elemento mais importante para caracterizar esse crime é a ausência de consentimento da vítima. Portanto, forçar a vítima a praticar atos sexuais, mesmo que sem penetração, é estupro (ex: forçar sexo oral ou masturbação sem consentimento).

Uma pessoa que tenha passado por esta situação normalmente encontra-se bastante fragilizada, contudo, há casos em que a vítima só se apercebe do ocorrido algum tempo depois. Em ambos os casos, é muito importante que a vítima tenha apoio de alguém quando for denunciar o ocorrido às autoridades, pois relatar os fatos costuma ser um momento doloroso. Infelizmente, apesar da fragilidade da vítima é importante que ocorra a denúncia para que as autoridades possam tomar conhecimento do ocorrido e agir para a responsabilização do agressor.

Antes da reforma do Código Penal em setembro de 2018, alguns casos de estupro só podiam ser denunciados pela própria vítima. Isso mudou, o que significa que se outra pessoa denunciar um estupro e tiver provas, o Ministério Público poderá processar o caso mesmo que o denunciante não tenha sido a própria vítima.

?>