Santos revolta web ao suspender contrato com Robinho sem admitir erro

A motivação do clube para suspender o contrato com o jogador também foi criticada

Por: Redação
Ouça este conteúdo

O Santos gerou revolta na web, nesta sexta-feira, 16, após publicar nota em que comunica a suspensão do contrato com Robinho, condenado por estupro na Itália. A indignação se deu pelo clube paulista, em momento algum, reconhecer ter cometido um erro.

Santos robinho
Crédito: Reprodução/TVGloboSantos suspende contrato com Robinho após gravação vir á público

Casagrande critica Santos pela contratação de Robinho

“O Santos Futebol Clube e o atleta Robinho informam que, em comum acordo, resolveram suspender a validade do contrato firmado no último dia 10 de outubro para que o jogador possa se concentrar exclusivamente na sua defesa no processo que corre na Itália”, diz nota do clube.

Em novembro de 2017, a Justiça italiana condenou Robinho e um amigo, Ricardo Falco, em primeira instância a nove anos de prisão por violência sexual em grupo. Interceptações telefônicas realizadas contra os envolvidos ao longo da investigação foram cruciais para o veredito contra o jogador.

“Estou rindo porque não estou nem aí, a mulher estava completamente bêbada, não sabe nem o que aconteceu”, disse o jogador, segundo as gravações da Justiça italiana.

A repercussão da contratação do atleta ficou diretamente associada ao fato, o que levou um patrocinador a romper com o Santos e ao menos outros quatro exigirem a desistência para manterem as parcerias com o clube.

Para internautas, a decisão do clube foi estritamente financeira, pois a justificativa para a suspensão foi: “Para que o jogador possa se concentrar exclusivamente na sua defesa no processo que corre na Itália” e não, porque o clube não deve colocar na posição de ídolo uma pessoa condenada por praticar violência contra mulher.

“O Santos não rompeu contrato porque o cara é um condenado por estupro. O Santos rompeu contrato para que o ~atleta~ ‘se concentre na defesa no processo que corre na Itália'”, escreveu um internauta.

Ao longo da polêmica, o Santos afirmou que “o clube não pode entrar no mérito da acusação, pois o processo corre em segredo de Justiça na Itália e sobretudo o Santos FC orgulha-se de, em sua história, sempre respeitar as garantias fundamentais do ser humano, dentre as quais, a presunção da inocência e o respeito ao devido processo legal.
Ressalta-se ainda que não há condenação definitiva e o atleta responde em liberdade e não será o Santos FC que lhe dará uma sentença antecipada, prejulgando e o impedindo de exercer sua profissão”.

Sobre essa declaração, muito criticada, pois Robinho recorre de um julgamento que já recebeu, o Santos não falou nada, não fez nenhum tipo de autocrítica.

Vale destacar que Robinho foi considerado culpado e condenado pela Justiça. Ele recorre e alega que é inocente, mas isso não muda o fato que a Justiça italiana o considerou culpado, com provas e não suposições. Agora, quem deve provar sua inocência é o jogador, a fase de presunção dela já passou.

Ainda segundo internautas a motivação do Santos não se deu por entender que cometeu um erro ao contratar um homem condenado por estupro. O fator determinante para a suspenção do contrato foi monetária. A pressão de patrocinadores, a chance eminente de perder muito dinheiro fez o time desistir de Robinho. O dinheiro prevaleceu sobre a moral.

“‘Para que o jogador possa se concentrar exclusivamente na sua defesa no processo que corre na Itália’. Que nota covarde e nojenta. O Santos faz o mínimo por pura pressão econômica e em momento nenhum se posiciona contra o crime cometido pelo Robinho. Nojo”, escreveu um internauta.