O estado de São Paulo é cenário para muitas ações coletivas do graffiti. São projetos de revitalização de ruas, oficinas artísticas e exposições que transformam paredes em arte – e que causam um impacto social incrível.

O livro "Tinta Loka", do artista Bonga Mac e da jornalista Tamires Santana, cataloga 70 intervenções artísticas de grafiteiros e coletivos de graffiti. Veja algumas ações realizadas em território paulista:

A Casa da Sogra

Espaço destinado à realização de atividades socioeducativas com foco na criação, exposições, literatura marginal e cultura hip hop. Ele foi fundado em Osasco (SP) em 2010, pelo artista e arte educador Dingos Del Barco.

Alopen Fest

Festival de graffiti que tem o objetivo de comemorar o aniversário de seu organizador, Alopen. Realizado no bairro da Vila Maria, na capital paulista, desde 2007, se destaca pelo intercâmbio promovido entre artistas do interior paulista.

Arte e Cultura na Kebrada

Evento multicultural e um dos maiores mutirões de graffiti do Brasil, ele reúne todos os elementos da cultura hip hop. É realizado desde 2006, em São Miguel Paulista, bairro de São Paulo, e recebe ajuda dos moradores na limpeza do ambiente e nas pinturas da pré-produção.

Créditos: Divulgação

G9 - Galeria de Arte Pública

G9 – Galeria de Arte Pública

Espaço onde as obras de graffiti ficam expostas ao ar livre, porém sem deixar as principais características de uma galeria de arte, como placas com nomes de artistas. Criada pelo artista Estranho em 2014, a ação foi incluída no circuito cultural da cidade Jundiaí, interior de São Paulo.

Hard Collors Tattoo

Estúdio de tatuagem, ateliê e também galeria de arte urbana que funciona em São José dos Campos (SP). Fundado pelo artista Alemck em 2006, além de unir tatuagem ao graffiti, abriga ações como exposições e cine móveis.

Grupo OPNI - Objetos Pixadores Não Identificados/Os Policiais Nos Incomodam/Os Prezados Nada Importantes

Coletivo que revela um olhar periférico e “artivista” no bairro de São Mateus, São Paulo (SP). Desde 1997 o grupo participa de ações nacionais e internacionais.

Lado Sujo da Frequência

O selo, gravadora independente e coletivo produz centenas de vídeos para o YouTube sobre encontros de graffiti e clipes musicais. Também realiza o evento Art in Home, que revitaliza espaços urbanos na periferia de São Paulo.

Créditos: Reprodução / Tamires Santana

Graffiti Contra Enchente

Graffiti Contra Enchente

Evento de graffiti que revitaliza áreas atingidas pelas enchentes no bairro de Jardim Sílvio Sampaio, Taboão da Serra (SP). Organizado pelos artistas Agnaldo Mirage, Gamão e Image, desde 2014 alia arte a ações sociais voltadas para os moradores.

Perusferia

Evento anual que revitaliza espaços e realiza oficinas de graffiti em escolas das imediações como resultado final das intervenções. É realizado no bairro paulistano de Perus pelo artista Guetus, Comunidade Cultural Quilombaque, a Crew Fuck City e a Hip-Hop Nação.

Pimp My Carroça

Pimp My Carroça movimento social, cultural e ambiental que dá visibilidade e promove a autoestima de catadores de materiais recicláveis. Realizado pela iniciativa sociocultural Parede Viva, desde 2012, opera com autônomos, cooperativas, ecopontos e intervenções em cidades como São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Curitiba (PR), Belém (PA), Brasília (DF), Salvador (BA), Fortaleza (CE), Recife, Olinda (PE), Lima (Peru) e no Kosovo.

Sopa de Letras

A Sopa de Letras atua como projeto social ao revitalizar os espaços por onde o evento é concretizado. Organizada pela crew ZN Lovers, sua primeira edição ocorreu em 2009, no bairro de Santana, São Paulo (SP), com participação de escritores de graffiti Leon, Locones e Xoras, em parceria com o Fome SP.

Semana Hip Hop Bauru

Organização colaborativa responsável por estruturar uma semana com pinturas de painéis e murais, shows, oficinas e palestras na cidade de Bauru (SP). Desde 2013 oferece programações da cultura hip-hop de maneira gratuita, e até se tornou lei e parte do calendário oficial de eventos da cidade paulista.