Considerada por muitos críticos uma ótima adaptação do famoso livro de Stephen King, "It: A Coisa" arrecadou 117 milhões de dólares nos seus três primeiros dias no cinema, se tornando a maior estreia de um filme de terror. Porém, junto ao lançamento vem uma discussão: como o longa-metragem deixou de lado uma polêmica parte de sexo na história original.

Créditos: "It: A Coisa" / reprodução

O "Clube dos Perdedores" em "It: A Coisa"

No final do livro, o grupo de pré-adolescentes conhecido como Clube dos Perdedores se perde em um sistema de esgoto, e percebe que eles devem se unir para conseguir sair dessa situação. Então, narra-se uma cena de sexo dos amigos.

Em 2013, a assistente de Stephen King, Marsha DeFillipo, repassou a explicação do autor para essa parte de "A Coisa" no site oficial dele. Ele disse não estava pensando no teor sexual dela. "O livro lidava com infância e a fase adulta", observou, "nenhum de nós se lembra do que fizemos quando crianças – achamos que sim, mas não nos recordamos do que realmente aconteceu".

O site Vulture foi atrás de King para ele confirmar essa declaração. "Parece que eu disse mesmo isso", ele falou. "Eu apenas adicionaria que para mim, é fascinante como houve tanta discussão sobre aquela única cena de sexo e tão poucos comentários sobre vários assassinatos de crianças. Isso deve significar algo, mas não sei o quê".

Gary Dauberman, um dos roteiristas responsáveis por adaptar o livro de Stephen King para as telas no novo filme, também falou porque a parte de sexo ficou de fora desta vez. "Embora seja uma cena importante, ela não define o livro", afirmou. "Sabemos qual era a intenção da cena e por que ela estava lá, e tentamos cumprir essa intenção de uma maneira diferente".

Os 23 filmes de terror mais assustadores, segundo nossos leitores