José Saramago convidou leitores do mundo todo a desvendar e viajar pela complexidade humana. Forçou-nos a entrarmos em contato com o universo mais sombrio do ser e reconhecer a capacidade de atos impronunciados. Por mais ficção que Saramago intuía em seus escritos, sua obra nunca deixou de conversar com a verdade.

Sua leitura é difícil. Sua história de vida apaixonante. Saramago parecia “mil homens” em um. Curador da grande exposição feita em sua homenagem, Fernando Gómez Aguillera, disse que Saramago é um desestabilizador e que nasceu para formular perguntas incômodas para que tenhamos que pensar sobre. “Mas, é um escritor que sempre seguiu fiel a sua palavra”, coloca.

José sempre andava com um caderno às mãos. Por isso, a riqueza de seus manuscritos, como se fossem sua ferramenta de defesa. A Biblioteca Nacional de Portugal disponibilizou trechos de alguns de seus manuscritos. Acesse.

A vida como escritor começou tardia. E, por isso, fica a sensação de que, hoje, sua colaboração ao mundo da literatura tenha sido tirada antes do tempo. Iluminava os corações dos leitores com suas citações que facilmente poderiam ser entoadas como mantras.

Foi um dos únicos escritores a ter seus trabalhos propagados em diferentes mídias. Ganhou um blog na internet, um twitter, contribuía para jornais, como El País. Leia aqui, o último artigo assinado por ele para o periódico espanhol.

Esse ano, a editora Leya lançou a primeira biografia sobre o autor escrita por João Marques Lopes. Confira trecho.

O último texto escrito no dia de sua morte em seu blog intitula-se “Pensar, Pensar”. O post é, na realidade, um trecho de entrevista realizada em 2008 para a revista portuguesa.

Acho que na sociedade actual nos falta filosofia. Filosofia como espaço, lugar, método de refexão, que pode não ter um objectivo determinado, como a ciência, que avança para satisfazer objectivos. Falta-nos reflexão, pensar, precisamos do trabalho de pensar, e parece-me que, sem ideias, nao vamos a parte nenhuma.

Façamos isso em sua homenagem.

José Saramago ganhou uma grande exposição, em 2008, "José Saramago: a consistência dos sonhos”, no Instituto Tomie Ohtake. Leia matéria.

No twitter, disponibilizou-se o livro “As Intermitências da Morte”. Baixe aqui.

Assista clipe de imagens e relato do escritor em “Saramago por ele próprio

Confira um trecho do documentário feito sobre o escritor pela emissora portuguesa RTP1. Assista.

Assista a trechos do documentário "José e Pilar- Um Retrato de Uma relação", que poderá se chamar "União Ibérica".

Trecho 1

Trecho 2

Rede Catraca Livre

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário da Rede Catraca.

O Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.