1 - Visto e vacina da febre amarela: o turista brasileiro não precisa de visto para entrar na Tailândia, mas é necessário estar em dia com a vacina contra febre amarela. Assim que tomar a vacina --a validade é de 10 anos--, leve a carteirinha em um dos postos da Anvisa para emitir o Certificado Internacional de Vacinação contra a Febre Amarela.

No aeroporto de Bangcoc, antes de passar na imigração, vá até o Health Control para validar a vacina. Algumas pessoas embarcam sem a vacina e assinam um termo de responsabilidade. Alguns destinos como a Índia, não é possível embarcar sem a vacina.

Créditos: Arquivo pessoal

Por do sol em Ao Nang, na província tailandesa de Krabi

2 - Comida tailandesa: A comida é muito boa (apimentada, saborosa, condimentada), para quem não gosta de pimenta é bom perguntar antes se o prato é apimentando. Comer na rua é muito barato --entre R$ 5 a R$ 10, o prato. Nos restaurantes o valor varia entre R$ 15 e R$ 30.

Créditos: Arquivo pessoal

Os pratos são na base de curry, leite de côco, muito arroz, noodles, pimenta, especiarias

Os pratos são na base de curry, leite de coco, muito arroz, noodles, pimenta, especiarias. A cerveja tailandesa é Singha ou Chang. Nas ilhas, os preços são um pouco mais caros.

3 - Como se locomover: os táxis são baratos em Bangcoc. Mas é bom ficar atento. Os taxistas muitas vezes tentam nos enganar (ou fecha preço antes e paga o dobro ou liga o taxímetro e tem a chance de ser enganado).

Em Koh Samui, é legal alugar uma scooter por 200 baht por dia e conhecer as praias, tem poucos táxis e os que tem são caros. Em Ao Nang e Phi Phi se faz tudo andando.

Dica: Para se locomover sem 3G, baixe o aplicativo do Here Maps ou do TripAdvisor. Baixe o mapa da cidade offline, assim você pode usar o GPS.

Créditos: Arquivo pessoal

Em Koh Samui, é legal alugar uma scooter por 200 baht por dia e conhecer as praias

4 – Acomodação: você encontra hostel a partir de US$ 10 a diária  por cama. Se você não encontrar muitos hotéis pelo Booking, um site muito usado é o Agoda.

5 – Massagem: uma das melhores coisas da Tailândia é a massagem. Meia hora custa R$15 e uma hora R$ 30. Tem massagem nos pés, costas e pescoço, com óleo e tiger balm e massagem tailandesa.

6 - Temperatura e época para ir: é muito quente -acima dos 30º no inverno. Fomos em dezembro que é o inverno de lá, altíssima temporada. Ilhas completamente cheias e a temperatura estava elevada. A melhor época para ir é entre novembro e fevereiro, o resto do ano chove muito além de ter as monções e temporadas de chuva.

7 - Buda e religião: o país é em sua maior parte budista, as pessoas são muito religiosas e os templos são maravilhosos e imperdíveis.

Créditos: Arquivo pessoal

Nos templos tem que ir com os ombros cobertos e pernas também

Os estabelecimentos (hotéis, restaurantes, casas) possuem pequeno templo fora para veneração. No Natal e Réveillon tudo funciona normalmente. Tem muito, mas muito buda, porém não pode ser usado como decoração, tatuagem, levar para o Brasil, pois a figura do buda é sagrado. Em muitos lugares como lojas, hotéis e restaurantes é preciso tirar os sapatos para entrar, sinal de respeito e para não trazer impurezas de fora.

8 – Bangcoc: a cidade é uma mega metrópole (com transito, suja, caos), às vezes, estressante. Achei uma cidade segura para andar assim como as ilhas.

9 - Praias e ilhas: as praias são maravilhosas. Recomendo conhecer Railey Beach, Poda Island, Tup Island (todas a partir de Ao Nang), Monkey Beach e Maya Bay onde foi filmado o filme "A Praia" (a partir de Koh Phi Phi) e  Koh tao e Koh Paghnan, onde acontece a famosa Full Moon Party (a partir de Koh Samui).

Créditos: Arquivo pessoal

Maya Bay, onde foi gravado o filme "A Praia", com Leonardo DiCaprio

10 - Moeda e lojas: a moeda é em baht, um dólar equivale a 35 baht. Para converter em reais, 100 baht, corta um zero e soma 20%, ou seja, R$ 12. Isso na cotação do dólar U$ 1 - R$4. Não vi muitas lojas de departamentos, shoppings e marcas conhecidas, somente em uma região especifica de Bangkok, Siam Sq.

11 - Os tailandeses: eles sorriem bastante, no geral dá para se comunicar em inglês. Ao agradecer, eles fazem uma pequena reverencia com as mãos em prece.

12 – Turistas: muitos turistas jovens principalmente em Koh Phi Phi e Bangcoc, muitos mochileiros, poucas crianças e idosos. Encontrei mais brasileiros em Koh Phi Phi, no restante a maioria são europeus, americanos e asiáticos.

13- Organização: todos os passeios, transfers, deslocamentos são muito bem organizados e pontuais.

14 - Voos internos: Air Asia e Nokair tem voos baratos internos na Tailândia.

Um amor chamado Tailândia: massagem todo dia, comida apimentada, praias maravilhosas, calor, buda, natureza e barateza.

Por Priscila Kamoi, do blog Jornada Kamoi. Acompanhe o blog no Facebook e no Instagram.