De espetaculares montanhas a praias com águas cristalinas, a Nova Zelândia é um destino que merece ser visitado, não importa a época do ano.

O país é dividido em duas grandes ilhas principais, a do Norte e a do Sul. É nesta última que fica o Blue Lake (Lagoa Azul), considerado o "lago mais cristalino do mundo".

Créditos: Divulgação/New Zeland Tourism

O lago Azul, na ilha Sul, na Nova Zelândia, é caracterizado por tons azul-violeta vistos apenas em águas naturais tão claras

Localizado no Nelson Lakes National Park, o lago, que em maori é chamado Rotomairewhenua, tem visibilidade de 80 metros de profundidade.

Créditos: Klaus Thymann/Project Pressure/NIWA/Tourism New Zealand

O parque nacional, criado em 1956, abrange cerca de 1020 km² e é popular para acampar, caminhar e pescar

Testes científicos realizados em 2011 pelo Instituto Nacional de Pesquisa de Água e Atmosfera da Nova Zelândia (NIWA) mostraram que o Lago Azul era o corpo natural mais limpo de água doce já conhecido pelo homem.

Créditos: Klaus Thymann/Project Pressure/NIWA/Tourism New Zealand

A clareza do lago está sendo monitorada para estabelecer se há alguma alteração

De acordo com os resultados da pesquisa da NIWA, a visibilidade no lago é de até 80 metros - o que significa que a água é considerada quase tão "clara de forma óptica" quanto a água destilada.

Créditos: Divulgação/Tourism New Zealand

Pesquisa apontou que a lago Azul é o corpo natural mais limpo de água doce conhecido já pelo homem

O Nelson Lakes National Park é frequentado para a prática de pesca e caminhadas. A distância entre o lago e a entrada do parque é de dois dias de caminhada, mas também há a opção de voos panorâmicos para se conhecer suas águas de cor azul-violeta.

Créditos: Klaus Thymann/Project Pressure/NIWA/Tourism New Zealand

A sua visibilidade é de cerca de 80 metros de profundidade

A fonte de águas cristalinas, localizada a uma altitude de 1.200 m acima do mar, mantém sua temperatura geralmente gelada --em torno de 5ºC a 8ºC. Para os maoris, este fato seria presságio de águas sagradas, e que, portanto, os homens não têm permissão para nadar ali.

Créditos: Klaus Thymann/Project Pressure/NIWA/Tourism New Zealand

Em 2013, o jornalista e ambientalista dinamarquês Klaus Thymann recebeu autorização especial para mergulhar no lago

No verão, as temperaturas na região durante o dia podem chegar a 30°C. Já no inverno, elas podem baixar até -10°C.

1/4

Crédito da imagem: Klaus Thymann/Project Pressure/NIWA/Tourism New Zealand

2/4

Crédito da imagem: Klaus Thymann/Project Pressure/NIWA/Tourism New Zealand

3/4

Crédito da imagem: Klaus Thymann/Project Pressure/NIWA/Tourism New Zealand

4/4

Crédito da imagem: Klaus Thymann/Project Pressure/NIWA/Tourism New Zealand

  • Crédito da imagem: Klaus Thymann/Project Pressure/NIWA/Tourism New Zealand

    1/4

  • Crédito da imagem: Klaus Thymann/Project Pressure/NIWA/Tourism New Zealand

    2/4

  • Crédito da imagem: Klaus Thymann/Project Pressure/NIWA/Tourism New Zealand

    3/4

  • Crédito da imagem: Klaus Thymann/Project Pressure/NIWA/Tourism New Zealand

    4/4

Nova Zelândia: 10 dicas para quem planeja ir pela 1ª vez