Sou, Gilsimara Caresia, brasileira e viajei 90 países, a grande maioria sozinha, sempre escuto perguntas relacionadas a medos. Em minhas viagens, não sofri nada que me gerasse traumas. Passei por países como Egito, Marrocos, morei na Índia e Nepal, fui sozinha para a Rússia, Jordânia e Quênia...

Parto do princípio: se tem gente morando lá, eu também posso ir. Porém, é claro que cuidados são necessários.

Na próxima semana, darei um Workshop em São Paulo: “Mulheres Viajantes do Sonho à Prática”, leitor do Catraca Livre Viagem tem desconto especial clicando aqui. Mas já compartilho algumas dicas de um dos tópicos que serão abordados:

Créditos:

Caminho de Santiago: fiz duas vezes sozinha, uma ferramenta incrível de auto-conhecimento

1 - Você tem medo de quê?

Essa primeira pergunta, só você vai saber responder. E ela é fundamental! Quais são seus medos? São reais ou com base em opinião dos outros? Diferencie o que é medo do que é risco real. Se você sofreu algum trauma como abuso, a ajuda de um psicólogo pode ser importante.

2 - Comece devagar

Você não precisa ter nascido pronta para colocar uma mochila nas costas e se jogar sozinha no mundo. Não se cobre! Comece devagar. Como? Vá sozinha ao cinema, por exemplo, passe um um final de semana sozinha na praia.
Em algum momento, você se sentirá confortável e segura para dar um passo maior.

3 - Viajar com desconhecidos pode ser o primeiro passo

Se você não se sente confortável em ir sozinha, comece a se desprender viajando com desconhecidos.
Por exemplo, compre um pacote de viagens em uma agência de turismo, você terá a oportunidade de viajar com pessoas que nunca viu antes.

Existem na internet diversos grupos para parceria de viagens, eu já usei muitos deles e fiz amigos incríveis!

4 - Fique em um hostel

O hostel é um tipo de pousada, com o estilo mochileiro, isso significa: um lugar fácil de fazer amizades.
Não necessariamente você precisa ficar em quarto compartilhado com homens (beliches onde você aluga a cama e divide o quarto com desconhecidos).

Alguns hostels oferecem quarto só para mulheres ou, ainda, a opção de quarto privativo. Ou seja, você pode aproveitar a área comum do hostel para fazer amizades, mas ir dormir sozinha no seu quarto particular.
Ao contrário do que muitos pensam, a maioria dos hostels não colocam limite de idade para os hóspedes.

Créditos:

Festa no hostel durante furacão nas Filipinas

5 - Não tenha vergonha de ir sozinha

Algumas mulheres me confessaram esse medo de julgamento. Se você se importa com isso, sim, tem gente que deve pensar: Ela não tem amigos! Ela é tão chata que ninguém quer ir junto. Mas também tem gente que vai pensar: Como ela é corajosa! Olha, ela não depende de ninguém para realizar os sonhos dela.

Vai chegar uma hora na sua vida, que a opinião dos outros não importará.

6 - Escolha dos destinos

Você pode começar por um país (ou região) em que se sinta mais segura, onde a cultura ou idioma sejam mais parecidos com os nossos.

A primeira viagem é sempre uma quebra de paradigma, ela pode ser a primeira de várias ou gerar mais resistência, então, busque algo que não seja tão difícil para você.

Pesquise bastante sobre o local, quanto mais você souber, mais segura se sentirá.

Créditos:

Na Índia, as mulheres costumam usar blusas mais longas, o que conhecemos como batas

7 - Culturas diferentes

Existem, sim, culturas muito diferentes no mundo e é isso, também, que nos leva a viajar, certo!?

Não sou do tipo que incentiva a bater de frente com a cultura local. Já coloquei uma espécie de burca para visitar mesquitas nos Emirados Árabes, na Índia e Egito usava echarpe para cobrir o decote, e assim por diante.

Em alguns países mulher sozinha atrai olhares, mas, lembre-se, podem não ser olhares de rejeição, mas sim de curiosidade. Imagine alguém circulando de burca ou de sari indiano no meio da avenida Paulista, a gente não ia olhar?

Créditos:

Visita à Mesquita em Abu Dhabi: roupas são emprestadas gratuitamente

8 - Viajar sozinho não significa estar sozinho

Se você quer um tempo só para você, tudo bem! Mas se quiser fazer novas amizades, viagens são ótimos momentos para isso. Você já pode ir testando o seu grau de abertura a novas amizades antes mesmo de fazer sua mala!

Observe com quantos desconhecidos você puxa assunto diariamente e vá, aos poucos, aumentando esse número.

Créditos:

Com indianos que conheci durante o Holi Festival

9 - Conte com as pessoas locais!

Gente é gente em qualquer lugar do mundo, parece óbvio, né? Você vai encontrar pessoas boas e más em qualquer país, já precisei de bastante ajuda de pessoas locais e fiz grandes amigos circulando por outros países.

Quando preciso de alguma informação, busco primeiramente mulheres na minha faixa etária, isso gera empatia. Sorriso é uma linguagem universal!

Créditos:

Elas me ajudaram a circular em um parque nacional na China, eu não conseguia entender as placas em chinês

10 - Você não precisa ser rica para viajar

Bem, eu não sou rica (infelizmente). Com o passar do tempo, fui conhecendo cada vez mais as possibilidades de viagem a baixo custo. Isso inclui opções econômicas de hospedagem, aproveitar promoções de passagens aéreas, abrir mão de algum conforto. Existem ferramentas, por exemplo, onde você consegue trabalhar ou ser voluntário durante a viagem, o que ajuda muito quem quer economizar.

Dicas práticas:

- Existem aplicativos que permitem baixar mapas no celular e usar off-line, isso ajuda em caso de você se perder.
- Baixe em seu celular um tradutor de português para o idioma local;
- Não fique refém do wi-fi, em muitos países você já consegue comprar no próprio aeroporto um chip de celular;
- Vale aquele conselho de mãe, não beba muito e cuidado para não colocarem nada na sua bebida (leve casaco também);
- Faça um seguro de viagens e dê uma lida nas regras dele antes. Muitos cartões de crédito oferecem seguro gratuito se você pagar a passagem com eles;
- Deixe em seu e-mail uma cópia digitalizada dos seus documentos (principalmente passaporte);
- Coloque dentro do seu passaporte alguns telefones de contato em caso de emergência, assim como informações do seu seguro de viagem;
- Deixe um cartão de crédito separado, para caso de perda/roubo de carteira;
- Existem muitos aplicativos que podem ajudar a facilitar a sua viagem, muitos mesmo;
- Deixe com alguém da sua família o login do rastreamento do seu celular, assim, eles podem acompanhar por onde você anda caso fique muito tempo sem contato;
- Siga seus instintos, se você leitor é mulher, vai saber do que estou falando.

Acredito na viagem como um meio de autodescoberta, de aproximar pessoas e de gerar respeito entre culturas.

Créditos:

Corrida no Marrocos: de shorts ou de lenço cobrindo a cabeça? O que importa é o respeito

Esteja preparada, sua vida nunca mais será a mesma depois disso! Bem vinda a um vício chamado liberdade!

Sou Gilsimara Caresia e compartilho a minha experiência como consultora pessoal de viagens, especialmente para mulheres. Deixo aqui o convite para você estar comigo no próximo Workshop, com um de desconto especial aqui :)
Acompanhe a agenda de viagens e eventos na minha página no facebook.

Os 10 melhores países para mulheres que querem viajar sozinhas

Imagem Autor

Gilsimara Caresia, jornalista e turismóloga, viajou mais de 80 países sozinha, é criadora do projeto GirlsGo. Acredita na viagem como ferramenta de autodescoberta.

+ posts do autor

Rede Catraca Livre

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário da Rede Catraca.

O Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.