Operação Lava Jato, Operação Carne Fraca, vazamento de áudios envolvendo o presidente Michel Temer em conversa comprometedora com empresário investigado, além de outras inúmeras notícias em nível federal, estadual e municipal que nos fazem pensar que, se 2017 pudesse ser resumido em um único termo, teria de ser "corrupção".

Créditos: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot, durante lançamento da campanha Todos juntos contra a corrupção

Pois foi ela a palavra escolhida como a palavra do ano por 37% dos brasileiros ouvidos em um levantamento feito pela consultoria Cause em parceria com o Instituto Ideia Big Data.

A pesquisa foi feita em três etapas: na primeira, 9.000 pessoas citaram mais de mil palavras diferentes, de forma espontânea. Depois, foi feita uma análise das 40 mais citadas a partir do olhar de especialistas da área de comunicação, antropologia, ciência política e marketing para se definir os cinco termos finalistas. Na terceira, as finalistas foram para uma nova votação, por meio de um aplicativo com mais de 680 mil pessoas inscritas.

Duas mil pessoas participaram da enquete que definiu a palavra que melhor representa o ano de 2017. Eis a classificação das finalistas: corrução (37%), vergonha (26%), crise (18%), tenso (10%), mudança (9%).

“A escolha da ‘corrupção’ como palavra do ano reflete um sentimento de descrença que marca o espírito da nossa época”, explica Rodolfo Guttilla, sócio da CAUSE.

A escolha da palavra do ano é uma tradição desde a década de 70, quando a Society of German Language passou a eleger o termo que melhor resume o espírito de cada época. Nos EUA e na Inglaterra, o dicionário Oxford é uma das instituições que faz esta seleção; em 2016, o termo escolhido foi "pós-verdade".

Qual seria o seu match na Operação Lava Jato?