Créditos: Reprodução/Agência Brasil/Instagram

FHC afirmou temer parte da direita brasileira

Não é só as minorias e a esquerda que temem uma possível eleição de Jair Bolsonaro (PSC-RJ) para presidente. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse nesta quinta-feira, 16, que tem medo que o Brasil cometa o mesmo erro da Itália ao eleger um candidato de ultra direita. As informações são do "Estadão".

Mesmo sem citar diretamente Jair Bolsonaro, o ex-presidente deixou claro que considera o presidenciável a principal ameaça nas eleições 2018.

"Eu não quero entrar em detalhes, mas há pessoas da direita que são pessoas perigosas", disse. "Um dos candidatos propôs me matar quando eu estava na Presidência. Na época, eu não prestei atenção. Mas hoje eu tenho medo, porque agora ele tem poder, ainda não, ele tem a possibilidade do poder", afirmou durante um evento na Universidade Brown, nos EUA.

Em 1999, Bolsonaro deu uma entrevista à TV Bandeirantes afirmando que seria impossível mudar a política do Brasil por meio das eleições e que a solução seria uma guerra civil, matando em primeiro lugar o então presidente FHC.

Ainda sobre a disputa de 2018, FHC disse acreditar que a eleição dos candidatos vai depender de suas capacidades de expressar uma mensagem que coincida com as aspirações da população, mas contou estar preocupado porque política não é pautada só pela razão, mas também pela emoção. "É arriscado. Essa pessoa está comprometida com a Constituição, com o respeito das leis, com os direitos humanos?", perguntou.

Em relação à comparação da atual situação política do Brasil a da Itália na época da Operação Operações Limpas, FHC ressaltou que há um "debate sério" no Brasil sobre o assunto, inclusive entre os juízes responsáveis pela Lava Jato. "Eles estão comparando, eles sabem o que aconteceu na Itália, todo mundo sabe das consequências em termos de Berlusconi. Se você olha a situação atual do Brasil, eu não posso dizer que isso não é possível."

  • Leia mais:

Pesquisa indica que Lula venceria eleição presidencial de 2018