O deputado Wladimir Costa (SD-PA) que recentemente se exibiu com a tatuagem de henna que fez em homenagem ao presidente Michel Temer, pediu nudes durante sessão e foi acusado de assediar uma jornalista, dessa vez vai "ganhar" um processo no Conselho de Ética da Câmara por enviar para o grupo de Whatsapp da Comissão uma montagem feita com a filha da deputada Maria do Rosário (PT-RS). As informações são do "O Globo".

Créditos: reprodução/TV Câmara

Wladimir Costa ficou conhecido após a "homenagem" que fez a Temer

Na mensagem compartilhada no domingo, 27, segundo parlamentares que são membros da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC), continha uma montagem em que aparece a filha de Rosário seminua junto ao deputado Eduardo Bolsonaro (PSC-SP) com a frase: "É na educação dos filhos que se revelam as virtudes dos pais".

O presidente da Comissão repreendeu a atitude do deputado e alegou que o grupo foi feito para discutir assuntos que envolvam o colegiado. "Eu acho que a educação dos filhos cabe aos pais, não cabe ao colega de trabalho. O grupo é voltado para assuntos daquela comissão então eu o repreendi, como faria com qualquer outro que colega que fizesse isso, e pedi para que ele fosse retirado do grupo porque eu achei pesada a mensagem", disse o deputado Wilson Filho (PTB-PB), presidente da CFFC.

Procurada pelo "O Globo", Maria do Rosário disse que a foto é do Instagram pessoal de sua filha, que está numa conta fechada, e que a circulação da imagem foi feita no começo do ano por seguidores de Bolsonaro. A deputada também declarou que não vai comentar sobre o caso e que lhe causou muita tristeza.

Também procurado, a reportagem não conseguiu localizar o deputado Wladimir Costa.

  • Leia também: 

Deputado assume que tatuagem de Temer era henna: 'estava bêbado'