Créditos: Reprodução/BBC

Emanuel não sobreviveu a uma operação

O cubano Emanuel Zayas, de 14 anos, tinha um tumor de 4,5 kg no rosto quando se mudou para os Estados Unidos em busca de um tratamento para sua doença.

Infelizmente, ele não resistiu a uma última operação e sua morte foi comunicada pelo médico Robert Marx, chefe de cirurgia maxilofacial do Sistema de Saúde da Universidade de Miami, na Flórida, em sua conta no Facebook.

"O estresse fisiológico da cirurgia foi demais para sua anatomia já comprometida. Nossa esperança de salvar sua vida e dar a ele uma condição de vida melhor não se concretizou", afirmou o profissional.

A condição raríssima de Emanuel foi notícia em diversos sites após uma matéria da BBC, que contava as dificuldades dos pais, que se sentiam impotentes diante da doença.

O tumor começou a crescer quando ele tinha 12 anos, já estava comprometendo o equilíbrio da cabeça, além de dificultar a alimentação, deixando o jovem desnutrido.

A mudança para os Estados Unidos foi uma tentativa para estender a vida do jovem, que já não encontrava os recursos necessários em Cuba.

Entre remédios e internação, o valor do tratamento de Emanuel foi estimado em US$ 200 mil (R$ 640 mil).

A família vai doar seu corpo para a pesquisa médica, na esperança de que se aprenda mais sobre esse mal raro.

Veja também:

Aparelho antecipa o diagnóstico do câncer de mama em 10 anos