Don Tapscott é autor do best-seller "Wikinomics" e um dos maiores estudiosos da influência das novas tecnologias no mundo atual. O livro parte de uma pesquisa realizada com cerca de dez mil jovens americanos sobre seus hábitos e padrões de consumo e relacionamento para fazer um mapeamento sobre como a internet revolucionou as formas de se pensar, interagir, trabalhar e se relacionar, dando origem a uma geração multifuncional, em que os jovens falam ao telefone, trocam mensagens de texto, baixam músicas, fazem upload de vídeos, assistem a um filme em uma tela de duas polegadas e navegam pelo Orkut ou Twitter ― tudo ao mesmo tempo. “Se você entender a Geração Internet, entenderá o futuro”, afirma Tapscott. Leia capítulo.

Confira, abaixo, trecho do livro:

“O impacto das redes sociais nos hábitos de consumo da Geração Internet é imenso e já perceptível. O poder da internet para descentralizar o conhecimento acarretou um profundo deslocamento de poder dos produtores para os consumidores. Os jovens da Geração Internet têm mais acesso a informações sobre produtos e serviços e podem discernir o valor real com mais facilidade do que as gerações anteriores. Mais do que nunca, as empresas precisam, para competir no mercado, de produtos realmente diferenciados, de um serviço melhor ou de um custo mais baixo, pois as deficiências de valor não podem ser escondidas com tanta facilidade. O valor real é evidenciado como nunca. A influência também está sendo descentralizada à medida que a Geração Internet se manifesta a partir das trincheiras modernas, também conhecidas como blogs. Blogs e outras mídias geradas por consumidores estão alterando as fontes de poder e de autoridade em nossa sociedade. Algumas dessas fontes têm uma capacidade surpreendente de influência, afastando a balança de poder de fontes mais tradicionais e reconhecidas. As empresas inteligentes entendem esse deslocamento de poder e o adotam. (...) A revista New York desconsiderou a Rolling Stone em sua lista dos principais influenciadores da indústria fonográfica, mas lá estava Sarah Lewitinn, uma blogueira de 26 anos. Aparentemente, o seu blog tem “mais poder do que qualquer crítico da mídia impressa”. Os integrantes da Geração Internet vem pouco uso para o papel do crítico tradicional. Uma recente pesquisa de opinião publicada no Los Angeles Times, correalizada pela Bloomberg News, revelou que, dentre os jovens com idade entre 18 e 24 anos, apenas 3% acham que “as resenhas dos críticos eram o fator mais importante em seu processo de tomada de decisões sobre filmes”. Para as empresas, o deslocamento de poder dos influenciadores tradicionais significa que muitos contatos estabelecidos podem perder sua antiga força. Hoje, as empresas precisam identificar e engajar as novas vozes da autoridade, muitas das quais – como a blogueira Sarah Lewitinn – surgirão de lugares inesperados. Uma boa maneira para começar a identificar essas novas vozes da autoridade é passar tempo com clientes da Geração Internet e catalogar as novas fontes de informação e os “especialistas” em que eles confiam” (p.235)