App ajuda no combate ao desperdício de alimentos em casa

A lógica do aplicativo se baseia em criar planos personalizados de compra e preparo das comidas e cálculo das porções, segundo números de dias e de pessoas

Por: Redação |

O problema: comer fora está caro. A solução: cozinhar e fazer as refeições em casa. Porém, para economizar de verdade, e de uma forma mais sustentável, é preciso levar em conta o combate ao desperdício de alimentos ao prepará-los. Pois um app promete ajudar nessa tarefa.

Trata-se do Meal Prep Mate. Esse aplicativo gratuito dá dicas sobre armazenamento, cozimento e cálculo das porções a ser consumidas.

Afinal, nada melhor que dimensionar para não desperdiçar. Assim, o app leva em conta os números de pessoas que vão comer e de dias para os quais as refeições serão programadas, por exemplo.

A partir dessas informações, o Meal Prep Mate fornece uma lista de compras personalizada, sugere receitas e estabelece quantidades precisas para cada refeição.

Não basta comer em casa para economizar: é preciso pensar no combate ao desperdício de alimentos
Crédito: Reprodução/Save The FoodNão basta comer em casa para economizar: é preciso pensar no combate ao desperdício de alimentos

Os usuários podem escolher um programa de combate ao desperdício de alimentos já existente no app ou criar um personalizado.

Há ainda dicas sobre as melhores formas de armazenar as comidas. E um guia para dar novas caras àquelas que sobram ao longo da semana, para que sejam saborosas opções à mesa no sábado ou no domingo.

Clique aqui e conheça o projeto As Melhores Soluções Sustentáveis.

Um dos aliados no combate ao desperdício de alimentos é o dimensionamento das porções
Crédito: Reprodução/Save The FoodUm dos aliados no combate ao desperdício de alimentos é o dimensionamento das porções

O aplicativo de combate ao desperdício de alimentos é um projeto da campanha Save the Food.

Ela foi criada nos Estados Unidos em 2016 diante de um dado alarmante: 40% dos alimentos vendidos no país para consumo humano são jogados fora, sendo a comida o maior “ingrediente” nos aterros sanitários de lá.

Além disso, quando se decompõem, esses dejetos produzem metano, que é um potente gás de efeito estufa.

Leia também: Projeto contra o lixo plástico no mar ergue muro na praia

Curadoria: engenheiro Bernardo Gradin, presidente da GranBio e especialista em soluções sustentáveis.

Compartilhe: