Combustível de plástico reciclado é saída para despoluir oceanos

Pesquisadores da Universidade de Purdue, em Indiana, EUA, aplicaram uma tecnologia que converte 90% dos resíduos de polipropileno em gasolina ou diesel

Por: Redação |

Que tal se o lixo plástico, em vez de entupir os oceanos, pudesse ser transformado em energia para a locomoção de veículos? Pois é essa a possibilidade descoberta por pesquisadores da Universidade de Purdue, de Indiana, EUA. Eles criaram um combustível de plástico reciclado.

A tecnologia desenvolvida por esses estudiosos permite converter cerca de 90% dos resíduos de polipropileno, tipo de plástico usado em embalagens e brinquedos, em gasolina e diesel de alta qualidade. A transformação leva apenas algumas horas.

Produção de petróleo copiada

Isso porque o processo é realizado por liquefação hidrotérmica, o qual, a temperaturas altíssimas e com muita pressão, imita as condições geológicas da Terra ao produzir petróleo.

Dessa forma, a conversão do plástico resulta em nafta, óleo inflamável que é matéria-prima para a indústria petroquímica.

Clique aqui e conheça o projeto As Melhores Soluções Sustentáveis

Linda Wang,professora de engenharia química na Universidade de Purdue e líder da pesquisa que desenvolveu o combustível de plástico reciclado
Crédito: Reprodução/Purdue Research Foundation/Vincent WalterLinda Wang, professora de engenharia química na Universidade de Purdue e líder da pesquisa que desenvolveu o combustível de plástico reciclado

O combustível de plástico reciclado, segundo os pesquisadores, poderia atender 4% da demanda por gasolina ou diesel no mundo. Afinal, segundo a ONU, 8 milhões de toneladas de lixo plástico são despejadas anualmente nos oceanos.

Os pesquisadores da Universidade de Purdue buscam agora investidores e parceiros para produzir o combustível de plástico reciclado em escala comercial.

Leia também: Regulador de ar-condicionado economiza até 70% na conta de luz

Curadoria: engenheiro Bernardo Gradin, presidente da GranBio e especialista em soluções sustentáveis.

Compartilhe: